Ler contos eroticos

Compartilhe
Favoritos | Feeds

Comida pelo marido da amiga

Postado 24/10/2011 em Heterosexuais

Olá, amigos.

Como todos devem me conhecer de contos anteriores, sou a Marina, separada, dois filhos, 1,75m, 58 kg, pele clara, cabelos negros e compridos.

Era um feriado de quinta feira, meus filhos haviam viajado com o pai e fiquei sozinha em São Paulo.

Já tinha 3 semanas que estava sem transar e começando a ficar a perigo.

Na quinta feira feriado, fiquei em casa, relaxando o dia inteiro sem maiores perspectivas. 

Na sexta, como a empresa que trabalho emandou o feriado, acordei pela manhã, fui a academia, depois passei no salão de beleza para arrumar o cabelo, fazer uma limpeza de pele e me depilar, não deixo ela carequinha, apenas aparo e faço depilação anal, tirando todos os pelinhos e deixando ele bem lisinho e carequinha, sempre preparado.

Almocei perto do salão e fui para casa, na depilação, já estava ficando excitada pois fiquei imaginando eu toda preparada, pronta para qualquer eventualidade.

Cheguei em casa por volta das 13:30, fui tomar um banho para relaxar e tirar todo resquicio da academia e da depilação, como estava sozinha, comecei imaginar como tiraria meu atraso e assim fiquei mais excitada.

Saí do banho e fui ao meu quarto, olhei no espelho e estava me sentindo poderosa, com o cabelo arrumado, o corpo depilado e bem macio pois fiz uma drenagem.

Estava muito excitada me sentindo poderosa e logo comecei a brincar com meu corpo, passando as mãos pelos meus seios que já estavam bicudos pois não saõ muito grandes e tem bicos bem pontudos. Logo deitei na cama e passando a mão pelo meu corpo veio a idéia de pegar meu consolo, que não é muito grande tendo 18 cm. Comecei a passá-lo pelo corpo, colocando na boca e emiginando um de verdade para fazer aquilo, desci ele pelo corpo e comecei a brincar na minha bucetinha, passando ele pelo grelinho, alisando e me deixando arrepiada, introduzi ele bem na entradinha e senti minha bucetinha abrindo, fui enfiando devagar e sentindo ela toda molhadinha, com essa brincadeira e tendo feito depilação no meu rabinho, comecei a sentir vontade de coloc-alo dentro do meu cuzinho, peguei uma camisinha, coloquei nele, passei um pouco de KY e comecei a brincar por trás, enfiei a pontinha e tive vontade de engoli-lo por inteiro, assim o fiz, comecei a enfiar a cabecinha e aos poucos ía introduzindo cada pedacinho, devagar. Já estava me sentindo quente e meu rosto já estava vermelho, estava suando, quando toca a campainha, demorei um pouco para me recompor e fiquei imaginando quem seria, levantei, coloquei um robe e deixei o KY e meu brinquedinho sobre a cama, fui até a porta.

A campainha já tinha tocado umas 3 vezes o que indicava que eu estava demorando um pouco para atender a porta. Antes de abrir a porta, perguntei quem era e ouvi: " É o Claudio ". Claudio é marido de uma amiga do condomio. Abri a porta e ouvi ele dizer: " Oi, vi seu carro na garagem e rosolvi vir aqui entregar o convite do aniversário da Andréa, estou atrapalhando? Vc está meio vermelha ". Meio surpresa, eu respondi, " Não está atrapalhando, imagine, estava apenas fazendo uma faxina de leve em casa pois não trabalho hj, entra, vou fazer um café para gente ". Ele muito educado, disse: " Não quero atrapalhar vc, apenas entregar o convite ". Eu insisti, meio atordoada pela situação: " Entre, não é incomodo nenhum". Ele entrou e sentou na banqueta que tenho na bancada da cozinha. Eu abaixei, de costas para ele, no armário da cozinha, na parte de baixo e instintivamente, abri as pernas para pegar o pote de café, mesmo estando de costas, quando me virei reparei que ele ficou me olhando com uma cara diferente, estava de robe e sem nada por baixo e ele vestia uma calça de moleton e camiseta. Quando vi seu rosto me olhando daquele jeito e eu naquela situação, logo pensei, por que não?

O café estava na cafeteira, no fogo e não percebi que meu robe estava meio aberto, deixando parte dos meus seios a mostra, como estavam excitados, ficavam bem bicudos no decote. O Claudio me disse que a Andréa demoraria pois não emendaram o feriado e ela teve que ir trabalhar, sendo analista de sistemas, nunca tem hora certa para voltar para casa. 

O café ficou pronto e preparei as xicaras para servi-lo, quando segurei a xicara para colocar o café, o Claudio segurou a xicara junto comigo, por cima de minha mão, acho que já havia percebido algo no ar pois no estado que eu estava deveria estar dando bandeira. Ele segurou minha mão e olhou para meus olhos, esperando minha reação, Como viu que não tirei sua mão de cima da minha, ele segurou com mais firmeza e começou a me puxar para perto dele, ficamos com os rostos a centimetros de distancia e meu corpo começou a tremer de excitação, ele olhou fundo nos meus olhos e veio chegando perto, devagar e me deu um beijo na boca, sem reação por minha parte, ele começou a intensificar o beijo e acariciar meus cabelos, na nuca e me segurar com mais firmeza, chegou seu corpo para perto do meu e me abraçou juntinho, senti seu pau por baixo da calça, já duro pelo excitação e ficamos nesse esfrega de corpos, ele desceu as mãos pelo meus corpo, abriu meu robe e acariciou meus seios, percebendo que eu não vestia nada por baixo, desceu sua boca e começou a beijá-alos, sempre com muito carinho, também desci minha mão e segurei seu pau por cima da calça, coloquei ele para cima e senti seu tamanho, que não era dos maiores mas dava para realizar uma brincadeira muito boa. Eu o chamei para irmos ao meu quarto e tinha me esquecido das coisas que deixei em cima da cama. Logo que chegamos no quarto ele viu o KY, meu vibrado embalado na camisinha e a embalagem dela. Perguntou se era aquela limpeza que eu fazia na casa e logo respondi que ele chegou na hora certa.

Ele me deu mais um beijo na boca e foi abrindo meu robe, me deixando nua e excitada. Ainda em pé, abaixei sua calça e cueca e vi seu pau, não era muito grande, + ou - do mesmo tamanho do meu consolo mas com uma xapeleta maravilhosa, como havia me abaixado para tirar sua calça, com aquele pau em riste na minha frente, abocanhei ele comecei a beijar a cabecinha, devagar, lambendo em volta e colocando na boca aos poucos, ele começou a tirar a camiseta e eu o deitei na cama, com isso, ele começou a tirar seu tênis e meias e logo depois tirou a calça, ficando nú, deitado em minha cama. 

Fui com minha boca na sua e comecei a beijá-lo, sempre acariciando seu pau e ele passando as mãos nos meus seios, comecei a beijar seu pescoço, peitos, barriga, cheguei a virilha e segurei seu pau, olhando bem para ele, coloquei a boca nele e comecei a chupá-lo, devagar, cada pedacinho. assim, comecei a me virar na cama colocando minha bucetinha em seu rosto, dando a entender que também queria ser chupada. Ficamos assim, nos chupando por um bom tempo, sentindo sua lingua na minha bucetinha, toda encharcada pela excitação e com aquele pau cabeçudo na minha boca.

Viramos de posição e fiquei por baixo, ele tirou seu pau da minha boca, abriu minhas pernas e me deixou de frango assado, bem aberta me chupando e enfiando os dedos dentro de minha buceta, começou a deixar seus dedos bem molhados e a passar no meu rego, lambuzando meu cuzinho com meu mel, deixando ele bem molhadinho, sem deixar de me chupar, começou a passar o dedo na entradinha do meu cuzinho e sem minha negativa, percebeu que o caminho estava livre, enfiando a pontinha do dedo no meu rabinho, começou a enfiar a ponta do dedo e cada vez enfiava um pouco mais, me deixando ainda mais excitada, percebi que teria meu primeiro orgasmo em sua boca, segurei sua mão com o dedo dentro do meu cú e meu corpo começou a tremer, ele percebeu que eu iria gozar e intensificou sua chupada e iniciou um vai e vem com seu dedo no meu cú, gozei como louca e dei um gemidos, meu tímidos. 

Como ele ainda não havia gozado, desci minha boca em direção do seu pau e comecei a chupá-lo de novo, peguei uma camisinha no criado mudo, coloquei na boca e fui descendo pelo seu pau, colocando a camisinha, louca para sentir aquele pau na minha bucetinha, fui por cima dele e comecei a esfregar a entrada da buceta na pontinha daquela vara dura, fui sentando devagar sentindo cada pedacinho entrando em mim, já estava excitada novamente e começou a entrar com facilidade depois que a xapeleta esta dentro, comecei a rebolar e olhar bem em seus olhos, para ve-lo com cara de excitado, após um tempo cavalgando, ele me virou e veio por cima de mim, dando estocadas rápidas, indo e vindo com aquele pau na minha buceta, me deixando louca e comecei a esfregar meu grelo, antecipando mais um orgasmo pois estava sentindo que ele iria gozar em breve. Com as estocadas mais violentas e as carícias que fazia em mim, comecei a sentir seu pau estufando na minha buceta e senti que ele iria gozar, intinsifiquei as carícias e chegamos ao orgas quase juntos, com or corpos tremendo, depois de gozarmos, ele ainda ficou indo e vindo dentro de mim, devagar até seu pau amolocer. Percebi que se tratava de um homem experiente, que sabia fazer uma mulher gozar e se importava mais conosco do que com ele.

Deitei em seu ombro e fiquei acariciando seu peito, até nos recompormos. Ele começou a me beijar e indagou a loucura que fizemos, eu disse " Não esquenta, nínguem precisa ficar sabendo " e perguntei se ele não gostaria de tomar uma duxa para relaxar. Fomos para o banheiro e comçamos a nos enssaboar, logo percebi que seu pau estava crescendo novamente. Chamei ele para voltar para o quarto.

Começamos a nos beijar em pé e esfregar nos corpos um no outro, seu pau já estava duro novamente e eu ainda excitada. Ele me colocou de quatro na cama e perguntou se tinha outra camisinha, peguei para ele que encapou seu pau e foi se dirigindo para minha buceta, eu de 4 bem empinadinha, começou a colocar devagar e brincar com o dedo na entradinha do meu cuzinho, como o KY estava sobre a cama, ele bezuntou seu dedo e enquanto me fodia devagar, começou a brincar com o dedo no meu buraquinho, me deixando louca. Perguntou assim: " Quero comer seu rabinho, posso? " Respondi que sim, mas devagar.

Ele passou mais KY no seu pau e foi direcionando para meu rabo, abri as nádegas com as mãos para facilitar ele foi introduzinho, deu um pouco de trabalho para aguentar a xapeleta, mas depois que entrou ficou mais fácil aguentar aquele caralho no meu cú. Ele foi enfiando devagar até sentir inteiro dentro de mim, foi amentando as estocadas, indo e vindo até me fuder de deverdade, da maneira que gosto, sendo enrrabada por um caralho maravilhoso, gemendo, rebolando e pedindo mais, mais mais.... Ele fodia meu cú como um mestre, com vigor e carinho ao mesmo temo. Estava sentindo seu pau duro como ferror. Comecei a acariciar meu grelo e acho que ele percebeu que era dessa maneira que eu chegava ao orgasmos, intensificando as estocadas, cheguei a mais um orgasmo, ele percebeu e diminuiu um pouco a intensidade das estocadas, quando eu virei um pouco o rosto para trás e disse: " Quero li dar um presente, goza na minha boca? ". Ele tirou seu pau do meu cú, retirou a camisinha e comecei a xupar, passava a lingua por ele inteiro, enfiava ele na boca e começou a se masturbar enquanto eu xupava, logo percebi que ele iria gozar e pedi: " Goza na minha boquinha, goza". Começou a esguichar os jatos de porrra e eu comecei a sentir aquele leitinho na minha boca. Depois que ele gozou e eu engoli tudo, continuei a chupar, sugando cada gotinha e sentindo aquele pau muxando na minha boca.

Ficamos deitados um pouco, nos recompondo.

Ele disse que foi maravilhoso e gostaria de repetir o feito, disse a ele que não queria compromisso e precisaríamos ser cuidadosos.

Ele se lavou, colocou as roupas, me deu um beijo e foi embora.

Não sei se reperimos a experiencia novamente mas foi muito boa.


Tags: contos heteros ler contos eróticos contos heterosexuais ler contos de heteros ler contos eróticos de heteros

categorias