Ler contos eroticos

Compartilhe
Favoritos | Feeds

Enrabou a sobrinha e a esposa

Postado 21/11/2011 em Heterosexuais

 

Certa noite e mina mulher, uma linda morena de olhos verdes, 29 anos e delicioso corpo, estávamos em ardentes preliminares sexuais, Quando Mariana, sua sobrinha de 18 anos, ouviu um ruído, no que levantou prontamente da cama, abriu a porta da varanda e qual não foi sua surpresa? Flagrou Simone se masturbando só de calcinha na varanda. Sua reação foi irascível: de modo furioso puxou a adolescente pela mão e enquanto vociferava ofendendo-a, colocou de quatro na cama, pegou meu cinto no armário e estalou nas duas nádegas da menina com toda a força por diversas sem piedade, após quatro lambadas, Simone já chorava de modo suplicante, mas Fernanda estava descontrolada, possuída pela ira: vagabunda ordinária, toca siririca vendo a própria tia transar com o marido, puta safada, vou arrancar a pele da sua bunda no couro do cinto e continuou batendo, quando intervi por dó da garota, embora estivesse descontroladamente excitado com aquela situação inusitada.

Muito tempo depois desse evento, tomei um susto ao chegar em casa e flagrar Mariana dando outra surra como essa em Simone, dessa vez estava mais furiosa ainda, quando perguntei o motivo, afirmou que tinha pego o diário da menina, onde confessava uma fantasia comigo, incluindo sexo anal e tudo mais. É isso que quer, né putinha ordinária? Dar esse rabo de vadia, então vai levar rola até o talo, ela chorava muito. Não agüentei de tesão, tirei a roupa inteira, Mariana ordenou: fique quieta aí, se você se mexer vai apanhar como uma escrava sua cadela. Então Simone choupou meu pau com um tesão inesperado, babou cuspiu e ordenou: mete sem dó no cu dessa puta. Nem ousei desobedecer, meti o pau naquele cuzinho que se retraía todo. Quando entrou inteiro ela berrava e chorava, até arfava: aaaaaaai tá doendo muito, eu nunca dei o cu, para por favor, tia pede pra ele parar, esse pinto tá me rasgando.

Ah é, sua puta? Pois vai rasgar mais ainda. Mariana abria bem a bunda da sobrinha pra rolar deslizar cu adentro, me pediu para sodomizar aquela adolescente em todas as posições, especialmente de frente e com as pernas para cima, de cabeça para baixa, ela me fez foder a menina em posição invertida, com a piroca entrando como uma parafuso e arrobando aquele orifício. Simone se peidava de nervoso e saíam gotas de sangue de seu ânus, não parava de implorar: para não agüento mais, vou desmaiar, tira esse pau do meu cu, por favor, faço qualquer coisa. Mariana teve um orgasmo assustador enquanto se masturbava com a situação .

No fim, gozei em sua boca e ordenou que Simone lavasse minha rola com a boca. Depois daquele dia, a sobrinha rebelde tornou-se a adolescente mais bem comportada que já vi. Mariana, por sua vez, passou a me dar a bunda frequentemente, gozando muito, ato que antes não tinha coragem de fazer. Depois disso, em determinada época, passamos a fazer ménage e com prazer sexual coletivo, irrestrito e já despojado de ciúme, nós nos tornamos uma família feliz, mas essa já é história para outra ocasião.

 


Tags: contos heteros ler contos eróticos contos heterosexuais ler contos de heteros ler contos eróticos de heteros

categorias