Ler contos eroticos

Compartilhe
Favoritos | Feeds

Gozou na mãe.

Postado 10/10/2011 em Incestos

 

Quem já teve oportunidade de meter na própria mãe sabe do que estou falando. É muito bom! Sentir meu pau entrando e saindo daquela bucetinha gostosa cheia de pêlos me deixa louco de tesão. Isso é melhor ainda quando ela também gosta e transa sem neunhum receio e quando é escondido também.

Vou contar a vocês como foi o dia em que minha mãe e eu iniciamos nossa vida sexual. Diferente da maioria dos contos aqui, meus pais não são separados. Meu nome é Leonardo, tenho 23 anos, minha puta, quer dizer, minha mãe (he he he) tem 44, e o cornão do meu pai tem 49 anos.

Apesar de serem casados, nunca fomos aquela família unida, eu pra falar verdade sempre dei trabalho pra minha mãe. Meus pais quando brigavam soltavam um dicionário todo de palavrões. É claro que eu aprendi isso, afinal eu cresci num ambiente assim. Mandava minha mãe tomar no cú, meu pai se foder. Eles também me xingavam de filho da puta quando aprontava, enfim, era uma sessão de xingamento entre nós. Quantas vezes também ouvi meu pai xingar minha mãe de puta na minha frente e minha mãe chamar meu pai de lazarento, frouxo.

A primeira vez que eu meti na minha mãe foi cedo. Lembro que eu cheguei em casa com a camisa toda rasgada, machucado, porque tinha brigado com um cara lá da escola. Minha mãe nem perguntou se eu estava bem porque já tava acostumada com as minhas brigas. Como sempre, vei chumbo grosso pro meu lado:

- " Brigou de novo seu filho da puta? Agora você vai com a camisa rasgada pra escola, eu não ficar consturando roupa pra marmanjo".

- "Que se foda, não tô pedindo pra você consturar! Não tem nada pra comer nessa porra aqui não?!"

- "Tem ovo aí na geladeira, cozinha um ovo e come!"

Meu pai ainda não tinha chegado do trampo. Era umas 7 da noite, tirei a roupa e foi tomar banho. Deixei a porta aberta e entrei no chuveiro. Mihha mãe tava tão concentrada na tv que enm percebeu a hora que eu fui tomar banho. Quando de repente e entra no banheiro e pega lá peladão, tomando banho.

Pra variar, mais bronca!

- "Não tem porta não moleque?!"

- " E você, não percebeu que eu tava tomando banho não caralho?! Até parece que tá querendi ver meu pau porra."

- "Olhao o respeito seu filho da puta, deixa seu pai chegar, eu vou contar pra ele."

- "Conta, eu falo que você entrou no banheiro de propósito pra ver minha rola"

- "Eu vou de dar uma surra que você nunca mais vai esquecer!"

- "É ruim hein, quero ver quem vai bater em mim!"

Minha mãe foi no quintal e arrancou uma folha, ou galho, sei lá, daquela planta "Espada de São Jorge". Voltou no banheiro e ameaçou me bater.

- "Vai, sai já do chuveiro, já ficou bastante tempo."

- "Que saí o quê!"

Ela deu com tudo com aquele galho na minha perna, quase acertou meu bilau.

- "Ai, ta bom, tô saindo já caralho!"

- "Sai logo" (minha mãe disse)

Desliguei o chuveiro e pedi pra ela esperar eu me enxugar. Minha mãe ficou ali na porta, me olhando e esperando eu me enxugar.

- Olha aí o que você fez, ficou vermelhão aqui"

- "Onde?"

- "Aqui ó!"

Apesar dessas brigas, seu amor de mãe a motivou cuidar de mim. Ela pegou um merthiolate, isso arde pra caraio. Ela pediu pra eu mostrar de novo onde tava machucado.

- "Aqui"

Ela passou o merthiolate no machucado.

- " Ai, porra! Ta ardendo"

- " Tá ardendo nada, você é homem ou não é! Agora fica quieto pra eu terminá de passá"

Nossa, quando ela falou se eu não era homem ou não, meu sangue ferveu. Na hora eu pensei comigo mesmo: "Já vou te mostrar sua vaca". Olhava minha mãe passar o merthiolate na minha perna e comecei a reparar nos seus seios. Eu tava em pé e ela agachada. Ou seja, ela não fazia ideia que eu tava secando aqueles melões enormes.

Meu pau começou a crescer aos poucos. Ela não não percebeu. Meu pau foi crescendo, crescendo, até que ficou esticadão, com a cabeça lá pro teto. Meu pau pulsava, paracia uma cobra prestes a dar o bote. Meu coração começou a acelerar, eu tava ficando cheio de tesão.

Minha mãe tinha terminado, quando de repente se deparou com a minha ANACONDA pulsando.

Ela arregalou os olhos e não disfarçou. Minha mãe sempre foi meio sem vergonha, gostava de piada de duplo sentindo, enfim, ela tem a mente bem aberta.

- "É grandão né, mãe!"

- "É....mas já imaginava que era assim! Você puxou seu pai, ele também tem o pau grande!"

- "É...mas o meu é maior não é"...Pega nele pra você ver melhor"

- " Tá louco moleque?...O que você tá pensando que eu sou?!

- "Ah, pára com isso! Você já passou a mão nele quando eu era bebê, já cansou de vê! O que tem você pegar nele agora? A única diferença é que meu pau tá maior e tem pêlos!" Vai caralho, na boa, pega nele mãe, ou vai dizer que tá com vergonha do próprio filho?"

-" Cala boca moleque, que vergonha o quê! Deixa eu ver então se ele é maior que o do seu pai".

Minha mãe começou a pegar no meu pau com uma mão, foi apertando ele e deslizando sua mão sobre ele todo. Ela disse:

- "É...pegando nele com uma mão parace ser maior sim"

- "Então pega nele com as duas maõs, pra você sentir melhor"

Minha colocou a outra mão sobre meu pau. Eu tava prestes a explodir de tesão. Ela começou a apalpá-lo com as duas mãos. Apalpou meu saco, mexeu nas minhas bolas. Não aguentei e deixei escapar um leve gemido:

- "Ah"

- "O que foi?" (ela perguntou)

- Nada não mãe, e aí? É maior ou não é? (perguntei com um leve sorriso de safadeza)

- "É...acho que você tem razão! Seu pau é bem maior que o do seu pai e bem grosso também!"

Mesmo tendo falado, minha mãe continuou com as mãos sobre meu pau. Comecei a sentir novamente os movimentos de sua mão sobre ele. Meu pau tava lá em cima. Parecia uma barrona de ferro de tão duro. A cabeçona pulsava, até que escorreu aquela "baba" que sai quando a gente fica muito excitado. Coloquei minhas mãos sobre as mãos da minha mãe e iniciei uma punheta sem ela perceber.

- "Vai mãe, continua analisando se meu pau é maior mesmo!"

Ela também tava gostando daquilo, se não já tinha largado do meu pau faz tempo. Mostrei pra ela os movimentos que ela tinha que "fazer".

- Assim mãe, isso! Vai!!"

Não aguentei, tirei minhas mãos sobre as dela e inventei fiz uma pergunta nada a ver como pretexto para o que eu queria fazer.

- "O que isso na sua boca mãe?"

- " A onde?" (ela respondeu)

- "Deixa eu ver, abre bem a boca!

- "AAAAAAAAAA"

Quando minha mãe tava com a boca bem aberta, levei ela em direção ao meu pau sem pensar duas vezes.

" Ahhhhh que delícia mãe!" Vai, agora chupa sua vagabunda pra ver se meu pau também é mais gostoso que o do cornão do meu pai, ha ha ha"

Minha mãe até que tentou se livrar, mas não fez muita força não. Também, eu continuei forçando com tudo meu pau na boca dela!

Nossa, nem acreditei que tava fazendo minha pagar um boquete pra mim! Mas continuei po que tava muito bom!

- "Ahhh, sua puta, continua vai! Isso! Aaahh, caraio! Ai caraio! Chupa sua filha da puta, engole meu pau sua biscate!

- "Slug! Slug! Humm...que delícia de pau! Ah...filhão...seu cachorro safado! Vou chupar essa pica gostosa até você gozar seu moleque pilantra, safado!"

-"ohhhh...huummm...ai ai!!! Isso minha puta, chupa mais vai! Não pára...chupa até o talo sua putona!!!

Nem deixava minha mãe respirar direito e já enfiava minha rola toda de novo na sua boquinha.

- "Aaahhhh, minha puta!! Não pára! Que gostoso essa boca no meu pau! Ai que delícia!

Minha mãe chupava minha pica sem parar. Engolia ela toda!!!

" Ahh..mãeeee!!!! Isso! Isso! Vai cachorra! Chupa vai! Engole meu pau todo sua vagabunda! Vai que eu quero gozá!....Oooohhh! Ahhhh......Aaaaahhh!!! Vou gozar, aaaiii...tô gozando sua puta, chupa mais....huumm....huumm...ai puta!!!! Aahhhhh...oooooohhhhhhhhhhhhh........aaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!!!!

Eu gritava gozando:

- "Aaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh......chupa sua puta!!!!! Toooooooooommmmmmaaaaaaaaaaa minha porraaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!!!! Aaaaaaaaaahhhhhhhhhh....AAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHH.....Aaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Nossa, gozei como um louco na boca da minha mãe. Sua boca tava cheia de porra. Quando ela cuspiu, parecia uma cachoeira de porra...

Foi muito bom!!! Ela ainda continuou chupando e lambendo todo meu pau!

- " Ah mãe! E aí? Meu pau é mais gostoso também? (perguntei zuando ela)

- Ah..aaah..calma aí..deixa eu recuperar o fôlego! Aahh!...É moleque! Seu pau é bem mais gosoto que o do seu pai!...seu cachorro!!!

Da próxima vez eu conto como comi o cúzinho dela.

Outra delíciaaaaaaaaaaaaa !!!!! he he he


Tags: comeu a mãe fudeu a mãe incestos contos eroticos incestos

categorias