Ler Contos Eroticos » Travestis » Pegou o traveco.

Pegou o traveco.

  • 15 de Fevereiro de 2018
  • 10711 views

stava muito afim de uma garota de programa e saí de carro na procura de uma que me interessasse. Dei algumas voltas sempre pela mesma avenida onde costumam fazer ponto e, como ainda não tinha encontrado o que queria, continuei até o final da avenida, onde ficam os travestis. Havia várias, a maioria horríveis, sem nada que despertasse o meu interesse e tesão… até que vi uma sentada próxima a um ponto de ônibus. Era uma morenaça, com um vestido minúsculo, insinuante… dei a volta na quadra e passei mais duas vezes na frente dela de carro, ela percebeu que eu estava cercando e mandou um beijinho levantando sua saia… na próxima volta entrei na rua exatamente onde ela estava sentada e, assim que virei a rua e estacionei o carro, ela se levantou e veio na minha direção… ela abaixou a parte superior do vestido, deixando os seios à mostra enquanto vinha na direção do carro. Ela parou na janela do carro, deixou os seios no meu rosto e perguntou se eu queria fazer um programa. Vendo o que vi, pedi para que entrasse no carro. Ela entrou e disse que tinha um local próprio e fomos para lá.

Ainda no carro, ela passou a esfregar o meu pau por cima da calça e eu não conseguia tirar os olhos dos seus seios perfeitos… ela mandou eu tocá-los e meu pau quase explodiu com o tesão. Mas logo percebi sua real intenção quando ela pegou a minha mão e levou em direção à parte de baixo do seu vestido. Senti o volume e perguntei quanto media; ela disse 20cm, levantou a saia, tirou a calcinha para o lado e me mostrou o seu pau… ela disse que havíamos chegado ao local e descemos do carro.

Entramos no seu apartamento, caprichoso, mas não vou entrar em detalhes porque acho que não interessa. Perguntei se ela morava sozinha e disse que não; talvez sua colega também estivesse fazendo um programa naquele momento no quarto dela, por isso fomos direto para o quarto dela.

Ela não perdeu tempo, tirou seu vestido de uma forma muito gostosa, depois a calcinha e ficou só de salto alto. Também tirei minhas roupas e fiquei pelado na frente daquela travesti linda. Confesso que meu pau já estava todo melado. Ela tomou a iniciativa e me deu um beijo muito gostoso, eu desci as mãos até sua bunda e pernas, tudo muito gostoso… meu pau duro estava contra o seu pau duro… o meu maior, mas o dela mais bonito, mais certinho. Ela se abaixou e começou a me chupar e chupava muito gostoso, dava umas lambidas na cabeça que me levavam às nuvens e sempre deixava um dedinho na porta do meu cu virgem. Pedi para que ela ficasse de quatro porque não aguentava mais e queria come-la. Ela obedeceu, mas ao ver aquele cu, levei minha boca na sua direção e comecei a chupa-lo. Ela gemia alto e eu me sentia incentivado a continuar. Muito bom lamber um cu como aquele. Com meu pau melado, enfiei bem gostoso, dei umas estocadas e gozei rápido, ainda mais porque ela empinava a bunda contra mim, dizia “isso, goza gostoso”, virava o rosto para trás, mordia os lábios e fazia aquela cara de puta safada. Quando tirei o pau do cu dela, ela me disse “então você é desses caras, grosso?”. Eu disse que apenas não aguentei porque ela me deixou louco de tesão, mas queria ficar mais tempo com ela pra gozarmos juntos.

Ela ficou deitada e eu do seu lado, virado para ela. Ela acariciava o seu pau e eu olhava. Depois eu tomei a iniciativa e peguei no pau dela, sentindo aquela sensação estranha de pegar numa carne gostosa, quando ela perguntou se eu não queria chupar… então eu disse que era o que eu realmente queria quando a vi, mas agora eu estava amarelando. Ela me deu um beijo e fez o movimento suave na minha cabeça em direção ao seu pau… Eu tomei coragem e desci na cama… Segurei o pau dela, olhei cada detalhe e dei um beijinho, depois outro e outro… até que não soltei mais, coloquei tudo na boca, fazia os movimentos que queria e ela adorava, me chamava de bichinha e mandava eu chupar a morena… Chupei muito e muito, até que ela levantou e pediu para me comer… Eu disse que não e ela insistia, mas eu dizia que não me sentia seguro, embora estivesse louco de tesão. Ela disse então que só queria gozar na portinha do meu cu, sem penetrar… Fiquei de quatro pra agrada-la e ela ficou lá atrás brincando e eu sentindo a carne dela em contato com a miha bunda, até que depois de um tempo ela deu uma forçada, eu senti uma dor mais forte, pedi pra ela tirar e ela tirou. Ela se deitou e pediu para que eu subisse nela e colocasse o pau devagarinho no meu cu, que quando eu sentisse dor eu poderia tirar, eu estaria no controle. Fiquei só brincando e ela me atiçando, dizendo que queria me comer gostoso. Eu até tentava, na portinha era muito gostoso, mas sempre que forçava doía muito e eu desistia. Mas eu estava com muito tesão, me deitei e disse pra ela me comer. Ela me deixou na posição de frango assado e começou a forçar o pau no meu cu, que doía, mas eu não queria desistir… Fiz o movimento de entrelaçar minhas pernas na cintura dela, ela sentiu confiança e, a partir daí, não se preocupou com nada mais do que com o tesão que ela sentia… forçou mais e mais até entrar, depois estocava forte e gostoso, me dizia palavras sem sentido. Tirou o pau, mudou a posição da minha perna direita e passou a me comer meio de ladinho, enquanto eu sentia seu cu roçar na minha perna. Depois virou mais as minhas pernas, fiquei de bunda pra cima e ela me comeu mais ainda… Estava abusando de mim e comendo de tudo quanto é jeito, até que gozou.

Ficamos deitados frente a frente por vários minutos. Eu fazia perguntas sobre os programas dela e ela me contava. E batíamos uma punheta juntos naquela posição, até que me virei e ficamos de conchinha, minha bunda contra o seu pau… Ela logo começou a forçar e o pau entrou. Ela estocava e mordia minha orelha, muito gostoso. Dessa vez não doía nada e meu pau continuava duro, enquanto eu o tocava. Ela gozou e eu também queria gozar. Ela se deitou e eu meti nela na posição de frango assado até gozar gostoso.

Foram horas de muito tesão e prazer. Lembro cada detalhe até hoje.

Levantamos, colocamos nossas roupas e, ao sair do quarto, vimos sua colega de apartamento comendo uma mulher novinha no sofá da sala. Os dois continuaram mesmo com a nossa presença, despreocupadamente, gemendo alto. Minha parceira disse que era uma vizinha de 19 anos que sempre as procurava, principalmente quando brigava com o namoradinho. Que vontade de voltar na mesma hora e começar de novo!

Contos relacionados

© 2018 - Ler Contos Eroticos