Ler contos eroticos

Compartilhe
Favoritos | Feeds

Todo enrugadinho...

Postado 28/11/2011 em Travestis

 

Foi no finalzinho da tarde desta segunda-feira fria em Curitiba, quando já estava até cansada, pois alguns clientes vieram brincar comigo e eu, havia feito de tudo um pouco... Mas aí recebi uma ligação de alguém que gostaria de vir me conhecer. Decidi então atendê-lo ... Depois de acertamos os detalhes fiquei a esperá-lo. Ele demorou um pouco porque se perdeu aqui por perto e com o congestionamento normal neste horário, achei até que não viria mais. Mas ele veio. Gostei dele de cara e, acho que ele gostou de mim. Como estava limpinho e cheiroso, não precisou daquele meu banho especial e então já pulamos pra cama. Cama quentinha devidamente aquecida pelo lençol térmico. Que delícia de calorzinho, mas ele estava mais quente que o lençol... Deitou-se de barriga pra cima, olhou pra mim e ficou esperando pelo meu ataque... Meio tímido disse que havia tido apenas uma experiência e não sabia como proceder agora. Nem o deixei se explicar muito e deitei-me sobre ele. Comecei roçar meu corpo no dele que logo se acendeu ainda mais... Encostei meus lábios nos seus, mas fiquei mais na insinuação do que num beijo propriamente ardente. Senti que ele estava pronto. Coloquei camisinha no meu pau e disse pra ele chupar meu pirulito. Ele meio sem jeito logo estava chupando super bem. Fiz o mesmo no pau dele e poucos minutinhos depois estávamos fazendo um 69 de pirulitos, rs...

Pra ficar ainda melhor, pedi pra que ele deitasse de barriga pra baixo pois eu gostaria de fazer uma massagem bem safadinha nas suas costas e ... Ele virou-se e ficou bem do jeitinho que eu gosto para poder deitar-me em cima e esfregar-me nele feito uma 'cobrinha nas areias do deserto'... Deitada sobre ele encostei mi nha línguinha na sua orelhinha e mordi bem de leve, depois passei-a pela seu ombro, nuca e pescocinho. Senti que ele estava arrepiado e gostando dos meus carinhos ousados. Mais ousada ainda fui, quando desci minha linguinha pelas suas costas e parei em frente a sua linda bunda. Aliás, que bunda perfeita! Bem, daquelas que adoro, que adoro ficar comendo com o olhar... Mas, nessa não fiquei apenas olhando. Com as mãos abri suas nádegas e com a pontinha da língua encapadinha fiz carinhos de leve ao redor do anelzinho rosado, para depois entrar um pouquinho. Fiquei excitadíssima e louca pra devorá-lo. Debrucei-me sobre ele e perguntei se poderia colocar a cabecinha do meu pau no seu buraquinho. Ele titubeou um pouco, mas deixou, desde que eu fosse bem carinhosa, pois ele achou meu pau um pouco grosso... Com jeitinho lambuzei bem com lubrificante e brinquei com o dedinho, pondo e tirando bem devagarinho. Realmente meu pau estava muito duro, culpa dele que me me encheu de tesão. Com a cabecinha encostada no seu buraquinho, não forcei, deixei apenas que deslizasse naturalmente. Deliciosamente deslizou pra dentro um pouquinho. Parei porque ele disse que estava doendo. Tirei, brinquei de novo e insisti mais um pouquinho e, mais um pouquinho depois eu estava pondo e tirando...

Depois de me divertir comendo seu rabinho, quis deixá-lo provar o meu também. Queria agora aquela gostosura que era seu pau para meu guloso cuzinho saborear cm por cm. Lubrifiquei-me bem, fiquei em pé sobre ele e me abaixei bem devagarinho até que senti que seu pau estava todinho dentro de mim. Apenas fiquei no movimento de sobe e desce, aproveitando para fazer uma ginástica para as pernas e também para o anelzinho. Ele adorou. Quando cansei, pois esta posição é só pra atleta mesmo... Acho que sou uma... Uma atleta sexual... Assim disseram os muitos que me ajudaram no exercício. Entao fiquei de quatro na cama e ele veio por trás, me agarrou na cint ura e meteu com gosto. Por incrível que pareça, já estávamos até suando, apesar do frio lá de fora... Aí saímos da cama, ficamos frente a frente e nos masturbamos, envolvidos numa consumição de ansiedade e volúpia... Que delícia! Que vontade de gozar! Mas segurei... Fiquei de quatro na beiradinha da cama e ele veio por trás de novo e ficamos nos vendo pelo espelho. Quando ele cansou, pedi pra que deitasse na cama de novo.  Rapidamente sentei em cima, mas agora melhor posicionada, para não cansar minhas pernas. Quase gozei de tanto prazer...

Como era sua primeira vez, pensei em fazer-lhe gozar de um modo que ainda não conhecia. Afinal gozar comendo ele experimenta todo dia, mesmo que não seja meu cuzinho, claro. Mas, enfim vocês entenderam o que eu quis dizer, não é? Deitei-me na cama com o pau duríssimo e ele sentou em cima de mim. Ficamos brincando um pouco. Pedi então pra que ele se masturbasse e gozasse na minha barriga... Assim ele fez e teve um orgasmo perfeito com muito leitinho condensado sobre mim... Ele me olhou com uma carinha deliciosa e disse que tinha sido ótimo. Eu concordei com ele pois só eu sei muito bem como é gozar assim, pois por pouco eu não havia gozado em cima dele, mas preferi que ele tivesse esse gostinho desta vez... E foi sua primeira vez assim... Depois conversamos um pouco e lhe dei um apelido: enrugadinho... Apelido engraçadinho né? Mas como é de praxe, quando dou um apelido, só eu e a pessoa sabemos os detalhes... Neste caso, só eu e ele sabemos que rugas são essas, que resultaram no 'enrugadinho', he he he...

 


Tags: travesti sexo com travesti ler contos eróticos travestis contos eroticos com travestis ler contos eroticos de travestis

categorias