Ler contos eroticos

Compartilhe
Favoritos | Feeds

Travesti ficou molhadinha

Postado 19/10/2011 em Travestis

 

No bom do sono pelo sábado de manhã, o celular tocou, tocou, até que tive que atendê-lo, pensei: vou atender e depois desligar para continuar dormindo. Atendi, alguém que já conheço há muito tempo estava aqui pertinho e disse eu quero subir, quero você... Olhei no relógio, puxa, já passava das onze horas, não era de madrugada como eu até havia pensado, rs. Bem, eu disse a ele, que ainda estava na cama. Tudo bem, ele respondeu: - você sabe que eu só quero que você chupe meu pau, eu vim pra Curitiba pensando na sua boquinha, me chupando, lambendo minhas bolas, vai, deixa...

Na hora fiquei já com o pau duro, ah, deve ser o calor, meu cuzinho já piscou. Então tá bom, pedi 5 minutos e e corri para fazer o básico, o principal: a chuca... Quando ele chegou, eu ainda estava no banheiro tomando uma ducha... Mas, como ele já é praticamente de casa, entrou e ficou a vontade. Eu ainda meio sonolenta, terminava de me secar. Ele entrou no chuveiro já com seu belo sa lame branco balançando. Embaixo do chuveiro virou sua bunda pra mim e eu fiz alguns carinhos enquanto passava meu sabonetinho especial. Ai, ui, dizia ele enquanto eu enfiava meu dedinho no seu buraquinho, passava a mão por baixo, pegava nos grãos pendurados e alisava seu cacete que já estava duro. Ohhh, que sacanagem, gemia ele enquanto eu lambia a água que caía nas suas costas. Alguns minutinhos depois já estávamos na cama, agarradinhos num 69. Eu chupava seu pau e ele o meu.

Enquanto chupávamos paus e bolas, com os dedos acariciávamos mutuamente nossos cuzinhos. Ele com um jeito meio bronco, mas com o meu pedido, passava a fazer como eu o fazia no dele. Ficamos um tempão brincando assim, até parávamos de vez em quando, para ele não gozar. Algum tempo depois ele deitou-se de bruços e pediu pra que eu deitasse sobre ele. Deitei, encaxei meu pau entre suas nádegas mas sem penetrar e fiquei me roçando sobre ele. Todo deitado, ele gemia e dizia que isso era mui to bom. Eu mordia de leve seu pescoço e sussurrava palavras no seu ouvido. Parece até que ele sentia cócegas, pois virava a cabeça querendo fugir de mim e então eu fazia no outro ouvido, rs... Com seu pau bem duro esfregando o colchão ele quase gozou de novo. Virou-se e disse que não havia ainda chegado a hora de dar a bundinha. Se é que chegará, há uns 8 anos já o conheço e o máximo que ele deixa é passar o dedinho e a línguinha, rs... Mas, eu que não aguentava de tesão então peguei seu rosto e disse bem pertinho do dele: - Quer foder meu cu?

Ah senão! Sim, sim, sim, disse ele...  Posicionou-se de barriga pra cima e eu sentei em cima do seu pau. Olhei para a sua carinha que estava risonha e feliz. Isso, vamos, dê esse cú gostoso pra mim, minha putinha... Essas e outras coisinhas ele falava enquanto eu só sabia subir e descer na sua vara. Claro que enquanto isso ele massageava meus mamilos e eu me masturbava.

Não passou muito tempo, ele pediu pra eu ficasse de quatro. Saí de cima, verifiquei se tudo estava bem, afinal não tive muito tempo pra fazer a chuca, mas sim, estava tudo perfeito. Fiquei na posição preferida em que ele gosta de me ver. Bem no cantinho da cama, abri as pernas, empinei o bundão, enfiei a cabeça no colchão e com as mãos abri as nádegas para ele ver meu buraquinho piscando. Você quer? Respondi com a voz abafada no colchão que sim, que viesse logo pra dentro de mim. Então ele veio. Enfiou até o talo e começou a fazer movimentos de vai e vem. Sabia que ele não demoraria a gozar, já o conheço, mas vale a pena ouvir e sentir o seu tesão. Ele começou a gemer alto, a me apertar mais forte e alguns minutos depois urrava.

Ele gozou gostoso dentro de mim. Levantei, enquanto ele se sacudia, sempre faz isso depois de gozar. Tirei a camisinha de dentro de mim, estava realmente com muita porra. Ele olhou e disse: - viu só? Eu não podia ir embora sem deixar esse leitinho aqui, rs... Pena q ue eu não gozei, simplesmente depois que ele se foi, eu ainda deitei e acho que dormi mais um hora...

Quando definitivamente levantei um pouco mais tarde, achei que havia tido um sonho erótico daqueles, pois estava com o pau meio melado e a bundinha também, mas não, a toalha pendurada no box com o cheiro dele, a camisinha cheia no cesto de lixo, ajudaram a comprovar que havia sido bem real, rs...


Tags: travesti sexo com travesti ler contos eróticos travestis contos eroticos com travestis ler contos eroticos de travestis

categorias