Ler Contos Eroticos » Fetiches » Putaria no acampamento da igreja

Putaria no acampamento da igreja

  • 30 de outubro de 2018
  • 67 views

Putaria no acampamento da igreja

Me chamo Marisa, tenho 19 anos e vou contar do acampamento da igreja. Eu faço parte do grupo de jovens de uma igreja evangélica e acabou rolando a maior sacanagem lá, mas vou me descrever antes de começar a contar como tudo rolou.

Eu sou branquinha, tenhos cabelos ondulados até metade das costas, sou alta, 1,72, tenho 60 quilos, olhos cor de mel, seios médios, bunda durinha. Minha família é evangélica, sempre fui recatada, namoro um rapaz da minha idade que também é da igreja e ele já tentou várias vezes avançar o sinal, mas eu usava a desculpa de só depois de casar. Na verdade eu não tinha interesse nele, só namorava porque meus pais quiseram.

Lá na igreja tem um rapaz chamado Lucas, tem uns 23 anos, ele começou a frequentar a pouco tempo e o pessoal lá sempre falou muita coisa dele, que ele vivia no mundo, bebia, pegava várias numa noite e o jeito canalha dele me despertou curiosidade.

Ele é moreno, tem cara de safado, um sorriso lindo, levemente malhado e no culto eu não parava de olhar pra ele, eu sentia muito desejo mas eu fui criada como se transar fosse algo errado, masturbação era coisa de outro mundo, mesmo assim quando eu pensava nele era difícil não sentir vontade de estimular minha bucetinha e tocar uma siririca bem gostosa por causa dele.

Depois que descobri com uma colega da igreja o que era isso, eu não parei mais. Me sentia suja, mas era tão gostoso brincar com meu grelinho. Demorou muito mas quando tive meu primeiro orgasmo, eu fiquei doidinha, que sensação deliciosa a de gozar.

Eu e minhas amigas da igreja estávamos empolgadíssimas para o acampamento que rolava todo ano, onde rolava recreação, muita música e banho de cachoeira, claro que o Lucas ia, mas meu namorado não porque ia visitar a avó em outra cidade, eu até fiquei feliz com isso.

No dia do acampamento a gente foi no ônibus da igreja e o Lucas me olhava o tempo todo com cara de safado. Era só esse homem olhar pra mim que eu me arrepiava inteira.

Chegamos lá e já ia começar a festa, tinha música, atividades, todo mundo empolgado e eu o tempo todo olhando pra o Lucas, até que ele chegou em mim e me chamou num cantinho onde ninguém via a gente.

-Oi gatinha, você tá linda hoje, sabia? a noite só vai ter atividade chata, que tal a gente dar um pulinho numa cachoeira que tem aqui perto?

-Ihh Lucas, não sei hein? alguém pode achar estranho!

-Não vai ter nada de estranho, eu não mordo!

Eu deveria ter dito não, porque além de virgem, eu tenho namorado, mas era muito estranho o efeito que ele causava em mim, fiquei louca.

Passei o dia nos eventos da igreja e a noite a gente foi para a área do acampamento onde tocamos violão numa fogueira, comemos um monte de besteiras e alguns mais atrevidinhos até levaram bebida escondido, o Lucas foi um desses.

Mais ou menos meia noite, todo mundo já tinha ido dormir, porque no dia seguinte começava cedo, o Lucas chegou de mansinho e disse:

-Vamos aproveitar linda, e ir lá na cachoeira, tô louco para te mostrar.

Eu topei ir, com o coração disparado, um medo de ser pega e uma vontade louca de estar pertinho dele. Chegamos, tava meio escuro, ele acendeu a lanterninha do celular e começamos a conversar sentados ali na beira do laguinho, com os pés dentro da água.

-Tava louco pra te trazer aqui, ainda bem que o mané do seu namorado não veio junto, queria ficar sozinho com você.

-Não fala assim dele Lucas, ele é um rapaz super do bem.

-Mas duvido que ele te pegue de jeito como eu quero te pegar.

Quando ele disse isso meu corpo inteiro reagiu, senti uma dor no meu clitóris e a sensação que me dava é que só passaria se ele me comesse.

Ele se aproximou de mim, me viu nervosa, pediu para eu me acalmar e me deu um beijo gostoso na boca, foi descendo para o meu pescoço inteiro, e passando as mãos nos meios seios durinhos.

Ele veio todo atrevido, levantou minha blusa, tentei dizer que não ia rolar mas não consegui dizer nada tamanho o tesão que tava rolando.

-Você é tão cheirosa gatinha, e que peitinho gostoso você tem, tô louco pra dar uma mamada, vem cá!

Ele tirou minha blusa, meu sutiã e começou a beijar meus seios, chupou os biquinhos, lambeu, me deixou toda arrepiada, comecei a gemer baixinho, ficar sem fôlego, suspirar…

-Tá gostando né? vai dizer que seu namorado chupa seus peitinhos assim como eu tô chupando.

Eu disse a ele que meu namorado nunca tinha feito isso e ele ficou surpreso.

-Então você é virgem?

Respondi que sim e ele ficou animadinho.

-Que delícia gatinha! prometo que vou ser bem carinhoso e vou te comer bem gostosinho.

Ele foi tirando o resto da minha roupa, me deixou completamente nua, eu não conseguia relaxar totalmente com medo de alguém da igreja acordar e ver, mas não conseguia parar.

-Segura aqui meu pau, olha como você deixou ele durinho, olha!

Ele guiou minha mão até sua pica, e me fez fazer um movimento de vai e vem pra tocar uma punheta pra ele.

-Dá uma chupadinha? chupa gostoso!

Eu comecei a chupar ele toda desajeitada, e ele foi me orientando como gostava, não resisti, o pau dele tinha um gosto e um cheiro muito bom.

-Pra quem não tem experiência você chupa bem gostoso gatinha.

Eu continuei chupando o safado de um jeito gostoso, ele socava de levinho sua rola na minha boca, que tesão da porra que me deu até que não aguentei e tive que parar quando ele começou a dedilhar minha bucetinha. Eu nunca tinha sentido algo tão gostoso, me arrepiei todinha, gemi de prazer.

-Tá gostoso ne safada? vem cá para o meu colo que vou deixar mais gostoso ainda.

Sentei no colo dele peladinha, ele tirou o short ficou peladão também e começou a me fazer roçar na sua pica, sem meter dentro.

Eu gemia baixinho, até que ele tirou uma camisinha do bolso do short e colocou naquela pica enorme.

-Vai doer um pouco, mas vai ser gostosinho.

Ele começou a encaixar a cabecinha da sua rola na minha bucetinha, realmente doeu, ardia para entrar, mas eu aguentei tudinho, aqueles 18 centímetros de pau dentro de mim.

-Aiii Lucas, tá doendo, mas tá tão gostoso.

-Eu sabia que tu ia curtir gostosa, sua bucetinha é tão apertadinha.

Quando ele tirou o pau vi um pouco de sangue, mas ele meteu de novo, foi um tesão da porra, gemi gostoso, já tinha esquecido da dor e só sentia prazer.

Ele me fez sentar no seu pau, me segurou pela bunda e foi um vai e vem bem gostoso, eu rebolando cheia de tesão, nunca tinha feito isso, adorei, foi muito gostoso.

-Ai putinha, você é tão apertadinha, não vou aguentar muito tempo, vou gozar logo.

-Tá gostando do meu pau na sua bucetinha?

-Aii Lucas, tô adorando, nunca pensei que fosse assim tão gostoso.

-Então vira de costas e empina essa bundinha pra eu ver essa tua buceta bem aberta.

Eu empinei, ele me segurou pela cintura e encaixou sua pica de volta na minha bucetinha, começou a bombar bem gostoso, me deixou louca, toda suada, melada e arrombada.

-Aaaaah, caralho, assim tá gostoso demais! que delícia de buceta, vou gozar porra!

Ele deu mais umas metidas e gozou bem gostoso.

Quando tirou o pau ele disse que ia me fazer gozar e veio chupar minha bucetinha bem gostoso, ele lambia, enfiava a língua na minha buceta meladinha e depois de tanta linguada foi minha vez de gozar na boca dele.

Pareceu uma eternidade essa trepada que a gente deu, então fomos correndo de volta para as barracas e ainda bem que ninguém suspeitou de nada.

Depois desse dia a gente não transou mais, só que quando voltamos o Lucas começou a vir aqui em casa e até hoje meu namorado acha que sou virgem quando na verdade eu tô dando gostoso pra ele.

igreja

Contos relacionados

© 2018 - Ler Contos Eroticos
Xvideos - Porno Gratis - Videos de Sexo - Videos pornográficos Xvideo Porno - Xvideos Pornor - - x videos - xxx - Filme Pornô - xvideo - Porno nacional - Videos de Incesto - Novinhas Gostosas