Ler Contos Eroticos » Incestos » Meu irmão me comeu no cinema

Meu irmão me comeu no cinema

  • 8 de Março de 2018
  • 714 views

Conto de Incesto: Meu irmão me comeu no cinema

Meu irmão me comeu no cinema. Essa história é verídica, aconteceu quando eu e meu irmão eramos jovens e estavamos nos descobrindo com relação ao sexo, isso por volta dos 18 anos dele. Hoje tenho 26 anos e posso dizer que minha experiência com ele foi uma das melhores que já tive em toda minha vida, apesar da vergonha que eu fiquei depois.

Eu vou me chamar de Carol, aqui nessa história e chamar meu irmão de Lucas. A gente sempre se deu bem, ele sempre foi bem safado, daqueles que falava putaria na minha frente e que passava horas no banheiro trancado se masturbando e depois me contava tudo na maior cara de pau. Eu achava que era só molecagem dele, mas depois vim descobrir que ele sentia um tesão louco por mim.

Eu sempre fui muito bonita e vaidosa. Cabelos ondulados e negros, pele morena clara, seios durinhos dos biquinhos bem clarinhos e minha bunda apesar de não ser muito grande, é bem feita e durinha. Eu sempre arrumei muitos paqueras e o Lucas botava todo mundo pra correr sempre. Apesar disso eu já tive um namorado nessa época e tinha dado pra ele umas 3 vezes.

Meu irmão até hoje é bem magrinho e muito bonito. Eu acabei desconfiando com o tempo que ele era afim de mim, mas um dia quando vi ele pelado de pau duro, tomei um susto. A visão dele nu com aquela pica enorme e cheia de veias ali apontando pra cima, acabou me deixando molhada. Nesse dia toquei uma siririca pensando na pica dele. Depois que gozei me senti um lixo, uma pecadora, uma criminosa. Onde já se viu fantasiar com meu irrmão?

Ele um dia me chamou para ir no cinema, eu não estranhei porque a gente sempre saia juntos, mas era para barzinho e outros lugares do tipo. Escolhemos antes o filme que a gente ia ver e fomos umas 17 da tarde na semana ao shopping assistir a sessão. Como era uma terça feira, o cinema não tava muito cheio, tinham poucas pessoas na sala onde a gente tava.

Começou a fazer um baita frio durante a sessão, eu fiquei bem pertinho dele e meu irmão safado passou o braço pelo meu pescoço e me aconchegou. Me senti protegida por ele, achei fofinho ele fazer isso, mas logo ele começou a acariciar meu ombro, meu pescoço e me deixou molhadinha. Tentei espantar os pensamentos safados mas meu corpo me entregava.

Ele notou que fiquei arrepiada, deu um sorrisinho e foi descendo a mão pelo meu braço. Logo notei uma ereção na calça dele, o safado tinha ficado de pau duro quando me tocou e isso me excitou mais ainda. Fui me deixando levar, dei uma olhada, tinham só umas 4 pessoas no cinema, e nós dois sentados mais atrás deles.

Logo ele foi descendo a mão pelas minhas coxas, ia subindo, até que alcançou minha calcinha branca, quando levantou um pouco a minha saia. Eu não consegui fazer nada, só me contorci um pouco quando os dedos dele alcançaram o meu grelinho.

Ele começou a fazer movimentos circulares, afastou minha calcinha pra ter um contato melhor e começou a me masturbar bem gostoso. Eu tava me segurando para não gemer, mas tava delicioso demais e ao mesmo tempo eu tinha vergonha, não conseguia olhar pra ele.

O Lucas parou o que tava fazendo comigo, colocou o pau pra fora e foi conduzindo minha mão até seu cacete duro. Eu comecei a masturbar ele, fiquei mais molhada ainda sentindo o cacete grosso do meu irmão dentro da minha mão. Ele adorou, fazia carinho nos meus cabelos, falava baixinho que tava bem gostoso e logo ele chegou no meu ouvido e pediu um boquete.

– Dá uma chupadinha nele vai, tô com vontade de sentir sua boquinha aqui no meu cacete.
Eu não pensei duas vezes e chupei o pau do meu irmão. O cheiro era bom, o gosto mais ainda. Ele me deixava louca, eu engolia seu pau enquanto ele empurrava minha cabeça de leve para aumentar o contato. Fiquei ali uns bons minutos babando em cima do seu pau.
irmão
Ele foi mais além e pediu para eu dar uma sentada, mas eu morri de medo. Já pensou se alguém pegava a gente? Ele insistiu muito, falou que era rapidinho, que só queria sentir como eu tava molhadinha e eu não resisti, afastei a calcinha e sentei no colo dele de costas. Ele me segurava pela cintura e me movimentava bem devagar.

Quando senti a sua pica me invadir, fiquei louca, me arrepiei, tremi, era gostoso demais pra ser verdade. Fiquei me sentindo suja, uma puta, mas naquela hora eu não queria saber de mais nada, só de dar minha bucetinha para o Lucas. Eu tentei não gemer, fiquei sentadinha no colo dele e 5 minutos depois ele gozou dentro de mim.

Fiquei com medo de ficar grávida ali naquela hora, mas depois minha noia passou e não aconteceu nada. Bom, nesse dia, depois de gozar ele tocou uma siririca até eu gozar também, e ficamos os dois ali parecendo um casal de namorados, trocando carinhos, beijos de língua e muitos chupões.

Quando o filme acabou fui calada pra casa com vergonha, mas assim que fomos dormir não aguentei e fui para o quarto dele, onde rolou tudo de novo. Dessa vez muito mais completo, mas depois volto para contar a segunda parte de como virei a puta do meu irmão.

Contos relacionados

© 2018 - Ler Contos Eroticos