Ler Contos Eroticos » Incestos » Transando com irmã que seduziu e fodeu com sortudo

Transando com irmã que seduziu e fodeu com sortudo

  • 20 de setembro de 2018
  • 140 views

Comendo a irmã gata

Transando com irmã gostosa que seduziu o safado e acabou fodendo com sacana que se deu bem demais com a gostosinha pelada.

Nossa família quando ia ao litoral e na época de férias ficávamos pelo menos 1 mês em nossa casa de praia. As crianças crescem, as meninas viram moças e deixam de brincar para fazerem outras coisas. Minha irmã estava moça e liderava algumas brincadeiras, a mais inocente? Beijo-Abraço ou Aperto de mão.
Eu combinava com minha irmã para quando ela tampasse meus olhos, me cutucasse no olho quando fosse a Tereza(loira), a Marlene(moreninha), a Edna(loira)ou a Regina( olhos cor de mel)e ela fazia isso e eu sempre beijava na boca essas e mais umas 2 que não lembro o nome.
Só que a safadinha de minha irmã exigiu o mesmo de mim, nunca para o Eduardo, Toninho ou Miguel e sim para Nelson, Marcio, irmão da moreninha. E não é que a minha irmã beijava na boca os caras, mas eu não ligava.

A mais velha delas, a Tereza começou com brincadeiras mais pesadas quando não tinham os pais nas casas. Mostrar a buceta e os meninos o cacete, e a brincadeira ia se tornando cada dia mais erótica. Tereza me deu meu primeiro beijo de língua, a menina menstruou muito cedo então agora era uma mulher feita, ela agora com peitos era páreo para a Marlene, Edna, Regina e minha irmã.
Como eu também sempre fui muito precoce, e o maior pau de todos, senti vontade de foder a Tereza e ela, na maior sem cerimônia baixou o maiô e vi aquela bocetinha com pelos e peitos formadinhos. Beijei sua boca e ela acariciava meu pau e o dirigia a sua boceta ainda virgem, mas minha irmã entrou no quarto e fez o maior escândalo, crise de ciume mas no dia seguinte se reuniram minha irmã, a Edna, a Tereza e a deliciosa e mais linda de todas Marlene; Regina e as outras 2 não estavam. E me provocaram mostrando suas bocetas, todas lindas, inclusive da minha irmã, e as safadinhas se esfregaram em mim e quando estava de pau duro, Edna puxou meu calção e sem querer ficou segurando meu pau duro,e ainda disse:
-Nossa como é grande! Muito maior que o do meu irmão! É do tamanho do meu pai!
Tereza só falou:
-Eu não disse que era grande!

Marlene e minha irmã ficaram apreciando aquela rola q estava no vigor da adolescência, mas já era bem grande.
Nessas indas e vindas acabei namorando a Marlene, cabelos castanhos escuros,lisos e quase pretos, olhos castanhos escuros, pele bem clara, mamilos róseos e filha de um italiano mafioso, que quase matou 1 cara que mexeu com suas filhas mais velhas. Mesmo assim eu e Marlene e minha irmã com o irmão dela, nos divertíamos quando as outras meninas não iam veranear. Eram beijos de língua, mexer e chupar seus peitos, acariciar suas bocetas virgens e penetrá-las com o dedo. E o irmão não reclamava, pois estava fazendo o mesmo com a minha irmã. Até que em um ano viajamos a outros lugares, e falaram para Marlene que nós tínhamos mudado de estado, e ela foi a 1ª a me chifrar, ficou com o Eduardo e quando soube, acabei o namoro e comecei a namorar a Regina por anos, mas namoro infanto juvenil tem dessas coisas. Quando a família descobriu nos afastaram, pois perante eles éramos muito novos.

Onde tudo o incesto começou

Um dia em casa minha irmã estava tomando banho de porta aberta, eu espiei e vi seus peitinhos se sobressaírem, e ela viu mas fingiu que não viu. A partir daí eu ia espiar ela se enxugando pela janela do banheiro, ela ficava nua diante do espelho e fazia poses, com aqueles peitinhos que já tinham sido beijados e chupados por outro e aquela bocetinha lisa com poucos pelos! Ficava de pau duro e batia uma. Para fazer tudo isso ela não sabe q estou aqui, ela está uma moça linda, e já quase levou o pau do irmão de minha ex-namorada e amiga dela. No dia em que tomei banho naquele banheiro, de dia, notei quando alguém passou pelo vitrô, a noite também dava para ver se alguém ficasse encostado espiando pelas frestas, então ela se exibia pra mim? Claro!
Isso foi comprovado por diversas vezes, e quando ficávamos sozinhos em casa, ela sentava em meu colo enquanto assistia TV. Me dava tesão e meu pau enrijecia, é claro que ela sentia, mas encostava a cabeça em meu peito e pela abertura de sua blusa podia apreciar seus peitos que cresciam cada vez mais rápido, e dava uma abridinha de pernas pra sentir meu pau, mas se escutava alguém chegando tratava de sentar no outro sofá.

Ela repetiu isso várias vezes e nós 2 estávamos mais ousados, ela aceitava beijos na sua boca e carícias nas pernas, barriga numa outra vez ela veio de camiseta bem fina e decote apetitoso, e vestia uma sainha, sentou-se em meu colo e como nas últimas vezes, começava a acariciar seus braços, seu ombros, sua pernas, mas dessa vez fui direto aos peitos, ela abriu as pernas e ficou parada, esperando, mas eu continuei, beijei seus peitos e senti suas mãos tirando meu pau pra fora, quanddo ele tocou em seus pelos, eu ia afastar a calcinha dela, mas que calcinha? Ela estava pronta para oque viesse,não tive dúvidas, eu a virei pra mim e como estava em uma poltrona seus pés e pernes abertas se apoiaram no braço da poltrona, me deixando aquela boceta pronta pra ser fodida, ela tirou a blusa e a saia e eu a camisa e a bermuda, nus com tesão e de frente sem segredos, nos abraçamos e dei meu 1º beijo de lingua nela e ela tentava desesperadamente q meu pau entrasse nela tanto fez q conseguiu,a cabeça entrou mas ela sentiu dor qdo encostei no seu cabaço, ouvimos um barulho de gente entrando, pegamos nossas roupas e fomos nos vestir na sala da frente.

Parece que aquele drama que ela fez comigo e Tereza quando íamos ter nossas primeiras relações sexuais, foram ciúmes e ela é que desejava ser a primeira a sentir meu pau.
Um dia eu estava meio aborrecido e me deitei no sofá da sala da frente, pouco depois ela deitou-se no tapete ao meu alcance, e sem falar nada, ainda me lembro vestia um short amarelo de abertura frontal e uma blusa fácil de tirar, mas tinha gente em casa, era muita provocação; Mexi em seus peitos, ela deixou e ainda abriu as pernas, soltei o botão e todo o short abriu deixando sua boceta a mostra, fui direto ao ponto, fiquei de bruços no sofá e ela abaixo no tapete me olhando como quem diz:
-Vai logo! me fode maninho!

Minha mão direita alisava sua boceta, seu grelinho, e ela sentia arrepios e fazia cara de quem estava gostando, enfiei meu dedo em sua boceta,e ele entrou até o cabaço, eu forcei passou apertado sem estourar o hímen e comecei a fazer o vai e vem e pelo menos vi o primeiro orgasmo de minha irmã. Como sempre alguém chegava e paramos por ai nos aprumando.
No dia seguinte coincidiu de todos saírem, eu tinha acabado de sair do banho e estava nu, eis que entra minha irmã, se joga em minha cama e tira seu roupão me mostrando toda a sua virginal nudez não aguentei a provocação fiquei por cima dela trocando beijos, chupando seus seios enquanto a mão dela procurava enfiar meu pau em sua boceta, e conseguiu! Abriu bem suas pernas e comecei a penetrar naquela xoxota que tanto desejou meu pau, por sorte ela deve ter se masturbado pois sua boceta estava cheia de mel, bem molhadinha, quando forcei em seu cabaço ela se encolheu de dor e ao abrir as pernas de novo eu enfiei com vontade, ela gritou mas o movimento de sua bunda mostrava q estava procurando a melhor posição e gostando, mas não falava nadaeu arrisquei:
-Está gostando maninha?
-Estou! Enfia mais! Enfia mais!
Ela passou suas pernas em redor de minha cintura como se fosse pra eu não fugir, mas aquilo me deu mais tesão e falei:
-Já perdeu o cabacinho maninha, como sente meu cacete esfregando dentro da sua boceta?
-Ah! Muito gostoso! vai mais rápido estou sentindo uma coisa… Me fode fundo maninho, vou aiii! acho que vou… mais, mais!
Bombei pra valer e acabamos gozando juntos, senti as contrações de sua boceta em meu pau, que delícia!
Quando tirei o pau de dentro dela e olhei era sangue na colcha da minha cama e mais sangue escorrendo dela, junto com a minha porra, ela foi tomar banho e eu fui junto, a porra parou de escorrer assim como o sangue, mas tive de colocar água oxigenada na colcha , lavar e colocar outra.
Ninguém notou nada! nem os beijos maliciosos que me dava até na frente de meus pais.
A partir daí, quando só ficávamos nós em casa, tomávamos banho juntos e trepávamos, dessas vezes sempre usando camisinha, foi uma sorte ela não engravidar.
Mas depois de um tempo sofri minha segunda traição, minha irmã deu pra um vizinho que contou pra todos os amigos e meus pais ao descobrirem foram esclarecer tudo, e o imbecil fofoqueiro ainda falou, mas ela já não era mais virgem!
Desde essa traição dela nunca mais transamos!

Contos relacionados

© 2018 - Ler Contos Eroticos
Videos pornográficos - Xvídeos - Xvideos - Porno Gratis - Sexo Amador - Videos pornográficos Xvideo Porno - Xvideos Pornor - - x videos - xxx - Filme Pornô - xvideo - Porno nacional - Videos de Incesto - Novinhas Gostosas