Ler Contos Eroticos » Traição » Fodendo a amante safada no Natal

Fodendo a amante safada no Natal

  • 5 de janeiro de 2019
  • 206 views

Tenho uma amante safada chamada Marta, ela é morena, cabelos negros, cara de puta e foi isso que me atraiu pra ela quando conheci ela em uma baladinha perto do bairro onde a gente mora. Ela é praticamente minha vizinha, mora algumas ruas da minha. Sou casado, ela também mas o marido dela é bem mais velho e paradão, o negócio dele é ficar em casa vendo futebol ou filme tomando a cervejinha dele tranquilo. Ela é baladeira pra caralho, vive nos bares aqui do bairro de shortinho curto dançando e enchendo a cara.

Minha mulher nunca se incomodou de eu sair com os amigos então pra mim era de boa, toda sexta, sábado e domingo, era balada aqui na comunidade, só curtição. Ela começou a dançar gostosinha rebolando até o chão e eu ali olhando feito cachorro em padaria pra o rabo dela. Foi assim que a gente começou a ter um caso, na porta da casa de um amigo nosso, a safada ficou no amasso comigo, chupou meu pau, gozei gostoso na boca dela e fiquei viciado nessa safada. Todo fim de semana a gente se encontrava e nos feriados também, tinha um motelzinho ali perto, encontrava com ela de moto e a gente ia trepar.

No Natal acordei com um tesão da porra, minha mulher, cunhada e sogra preparando a ceia, meu sogro vendo TV com meu cunhado e eu ali querendo comer a Marta, mas ela disse que não ia dar porque tava se organizando pra ceia e tal, mas eu insisti muito, queria dar nem que fosse uma rapidinha com aquela vagabunda, começar a noite de natal bem fodendo aquela buceta gostosa.

Falando nisso, preciso descrever ela: A Marta é morena, corpinho gostoso trabalhado na academia, coxas grossas, peitos empinadinhos, cabelos negros até a bunda e uma cara de safada que garanto, ninguém resiste! Nesse dia vi que não ia comer ela e comecei a encher a cara, então depois da ceia disse a minha mulher que ia dar uma volta, desejar feliz natal para uns amigos e acabei indo na casa dela.

Deixei uma mensagem, ela apareceu na porta, disse que o marido já tava dormindo, arrisquei, entrei na casa dela, aquela adrenalina do caralho por comer ela com o corno em casa, mas fui na cozinha, encostei a puta na parede e comecei a beijar ela todinha, seu pescoço, desci pra os seios, botei pra fora, comecei a chupar gostosinho.

Enfiei meu pau na boca dela de uma vez

Meu pau já ficou durão, coloquei pra fora fiz ela se ajoelhar e chupar, um misto de nervosismo e tesão, olhando o tempo inteiro pra ver se o corno aparecia. Ela mamou meu pau com vontade, enfiou tudo na boca, engoliu, parecia que tava morrendo de saudade de provar minha pica pulsando na boca dela e quanto mais ela chupava mais eu me controlava pra não gozar logo.

-Saudade desse teu pau na minha boca sabia?

Ela tava meio alterada pelo álcool e eu também, senão a gente nunca teria coragem de fuder na casa dela.

-Vamos sair da cozinha, tenho medo do Paulo acordar, vem cá.

Ela me levou para o quintal nos fundos da casa, lá arriou minha calça e tirou seu shortinho e com uma pressa da porra continuou chupando gostosinho até levantar pra me dar.

-Vem, mete logo essa pica na minha buceta, não sei quanto tempo a gente tem.

Eu dei uma meladinha no pau esfregando na entradinha da buceta dela e comecei a enfiar cada centímetro naquela gostosa. Comecei a bombar, segurando ela pelos cabelos com uma mão e pela cintura com a outra, ela ficava com as mãos na boca pra nçao gemer alto.

-Saudade dessa bucetinha melada porra, tava achando que não ia te fuder hoje sua putinha.

-Aproveita então, mete fundo nela, me come seu cachorro, seu filho da puta.

Eu comecei a bombar mais forte, ela com a mão na boca querendo gritar de tesão e a gente ali, eu beijando ela toda, a safada empinando na minha pica.

-Quero comer seu cu de presente de natal, tá achando que não vou comer?

Ela empinou, dei uma meladinha no seu cuzinho e encaixei a vara, ela me apertou todinho, pediu pra ir mais devagar que tava doendo, mas eu nem ouvi, só meti naquela safada, perdi a conta dos minutos que fiquei ali bombando.

-Aiii, tá arrombando meu cu seu porra!

-Vou parar então!

-Nãoooo, para não que tá gostoso!

Fudi com vontade aquela safada, a gente nem tava pensando mais se o corno podia acordar, comi com vontade e gozei gostoso no seu cuzinho, enchi ela todinha de porra. A gente se ajeitou, tive que voltar correndo pra casa pra não dar na cara e posso dizer que fuder o cu da minha vizinha fez eu ter o melhor natal da minha vida.
amante

Contos relacionados

© 2019 - Ler Contos Eroticos
Porno - Xvídeos - Xvideos - Videos pornográficos Xvideo Porno - Xvideos Pornor - X Videos - xxx - Filme Pornô - xvideo - Porno nacional Contos Eróticos - - Videos Pornos