Ler Contos Eroticos » Traição » Trepando com meu sogrão

Trepando com meu sogrão

  • 5 de Março de 2018
  • 772 views

Conto de Traição: Trepando com meu sogrão

Trepando com o meu sogrão. Eu me chamo Solange, tenho 23 anos, namoro com um rapaz de 25 a 2 anos. Essa história aconteceu logo no início do nosso namoro, quando meu namorado resolveu começar a me apresentar para a família dele inteira. Conheci minha sogra, minha cunhada e adorei as duas, não tinha conhecido seu pai logo de cara porque ele era engenheiro de uma grande empresa e vivia embarcado.

O seu pai se chama Augusto, mesmo nome do meu namorado e é um homem de 50 anos, cabelos grisalhos, corpo atlético, daqueles que adoram se cuidar, praticar exercícios e etc. Nem de perto ele aparenta ter a idade que tem, parece ser uns 10 anos mais novo. Foi isso que me chamou atenção no dia que meu namorado disse que o pai dele tava na cidade e ia marcar um almoço pra gente se conhecer.

Eu me senti atraída pelo pai dele logo de cara, fiquei até sem graça porque imagina que loucura tudo isso? A gente saiu para almoçar num restaurante caríssimo, e o pai dele pagou tudo que a gente pediu. Ele foi um lord comigo, puxou a cadeira para eu sentar, comentou que o filho dele tinha bom gosto igual ao pai, por ter arrumado uma morena linda como eu.

Modéstia a parte, sou bonita mesmo. Tenho 1,68 de altura, cabelos longos e lisos, uma bunda bem feita e meus peitinhos batem lá no céu de tão empinadinhos. Meu namorado é bonito também, mas não chega nem aos pés do seu pai, que além de ser bonito, é charmoso e tem cara de safado.

Durante o almoço ele me olhava o tempo inteiro, meu namorado é tao tapado que nem percebia. Minha buceta já tava molhada de tesão, o olhar desse homem penetrava dentro de mim e me deixava nua. Eu fiquei bem desconcertada, levantei para ir ao banheiro me recompor e quando abri a porta para sair encontrei ele ali parado na porta me olhando perguntando se estava tudo bem, porque eu demorei e ele ficou preocupado.

Eu fui pra casa, ele nós levou no carro dele de volta e pediu meu whats com uma desculpinha esfarrapada, mas eu dei e confesso que tava louca pra ele falar comigo. No dia seguinte foi o que aconteceu, ele falou comigo, disse que me adorou, que eu ia ser uma nora maravilhosa, que seu filho fez uma boa escolha e mandou eu visitar ele de vez em quando. No mesmo dia a noite, ele perguntou onde eu estava e foi me buscar no trabalho. Não sabia se deveria contar ao Guto, mas decidi não contar nada.

O meu sogro me levou para um barzinho, tomei uma cerveja com ele e na volta ele na maior cara de pau, dentro do carro, acariciou minha coxa. Me arrepiei inteira, não sabia se ia resistir e logo vi ele tomando um caminho diferente da minha casa, então ele disse:
– Desde a primeira vez que te vi com meu filho eu senti algo estranho, uma atração louca por você, sei que isso não é certo mas você me dá um tesão como não senti antes.

Essas palavras molharam minha buceta inteirinha, fiquei doida, não consegui falar nada, só baixei a cabeça e ele perguntou se teria algum problema a gente conversar a sós. Eu respondi que não e fomos para um motel. Lá ele parou o carro, me tascou um super beijo, a língua daquele homem na minha era uma delicia, eu tremia de tesão, me arrepiava inteira e tava latejando de vontade de ser comida por ele.

Eu nem consegui pensar no meu namorado e acho que nem ele no início, ele me pegou no colo, me jogou na cama e foi tirando toda minha roupa e me admirando quando fiquei nua, ele falou que eu era linda. Logo ele tirou a camisa, pude ver alguns pelos grisalhos no seu peito, um abdome definido e uma tatuagem que ele fez quando era mais novo. Ele tirou a calça, ficou só de cueca preta e pude ver o volumão que seu pau e seu saco faziam.

Quando ele botou a pica pra fora eu fiquei chocada com a grossura e tamanho, aí o safado veio se ajoelhando até mim na cama e colocou o pau na minha boca e ordenou:
-Me chupa, eu tô louco para experimentar sua boca no meu pau!
sogrão
Eu chupei sem pensar duas vezes, engoli cada parte daquele pauzão veiudo, chupei, mamei como se fosse a última pica que eu chuparia no mundo. Ele delirava de tesão, acariciava meus cabelos, falava o quanto tava gostoso e eu não queria parar de chupar, mas o safado disse:
– Agora é minha vez de provar o gosto dessa sua bucetinha lisinha, aposto que é uma delícia.

E assim ele chupou meu grelinho latejando de tesão pela boca dele, sugou gostoso, me fez tremer, me contorcer todinha, eu tava a ponto de gozar e quando ele percebeu parou, subiu em cima de mim e foi penetrando aquele cacete delicioso na minha buceta molhadinha.

Ele metia, mexia bem devagar sem tirar de dentro, mamava meus peitos, apertava ele com aquelas mãos enormes, gemia junto comigo e falava o quanto eu era apertada e gostosa e que queria me comer pra sempre. A gente ficou ali, ele me botou sentadinha no colo dele e foi comandando os movimentos do meu corpo em cima do seu pau. Não aguentamos muito tempo nesse contato e acabamos gozando gostoso.

Foi uma delícia sentir ele gozando e escorrendo tudinho pela minha buceta. Fiquei apaixonada por esse homem, pena que com o tempo a gente ficou sentindo culpa por causa do meu namorado, mas sempre que fodo com ele não deixo de pensar no meu sogrão.

Contos relacionados

© 2018 - Ler Contos Eroticos