Contos Eróticos: Histórias Reais de Sexo, Contos Pornô » Cornos » Minha namorada soltinha na balada me fez o corno mais feliz

Minha namorada soltinha na balada me fez o corno mais feliz

  • 15 de setembro de 2020
  • 681 views
10 votes

Somos um casal tranquilo e safado, gostamos muito um do outro e nos damos super bem em tudo, principalmente no sexo.

Já tive a chance de realizar meu fetiche de ver minha namorada fazendo sexo com outro cara e não desperdicei a chance, foi uma ótima experiência e nos deixou com um gostinho de quero mais.

Durante um tempo mantivemos contato com esse nosso amigo e tivemos algumas pequenas aventuras que posso contar em contos posteriores, mas por hoje gostaria de me focar em uma experiência muito gostosa que tivemos em uma balada.

Eu e Ma(*) já estávamos a um tempo querendo ir em uma festa, mas sempre acontecia algo e acabamos não indo, certo sábado estávamos de bobeira e resolvemos que era esse o dia, ela estava anima e eu também, ela colocou um vestido curto, se maquiou e se perfumou, ficando ainda mais linda e provocativa do que de costume.

Para apimentar um pouco as coisas eu já comecei provocando:

– Meu amor, como vamos apenas eu e você porque não fazemos um pouco diferente, eu vou sem cueca e você sem calcinha.

Fiz uma cara de safado para ela e a abracei por traz, dando uma encoxada.

Ela pareceu meio dívida com a ideia. – Sei não meu lindo, não me sinto muito confortável com isso.

– Vamos meu amor, vai ser divertido…

Ela não parecia muito confiante. Por conta disso eu completei:

– Vamos fazer assim então, você leva a calcinha na bolsa, se não se sentir bem assim que conseguirmos você vai no banheiro e coloca.

Mesmo ela não estar com 100% de certeza dava para ver que ela estava dividida entre o tesão da safadeza e o senso comum de não sair sem calcinha. Olhei ela nos olhos e ela deve ter visto meu desejo porque ela acabou aceitando.

Decidimos ir de Uber para a balada, pois como ela estava sem calcinha não queria andar de metrô, chamamos o uber e durante o caminho eu podia ver que ela estava meio de lado, escondendo que estava sem calcinha, pensei em provocá-la um pouco mas achei melhor não abusar da sorte.

Chegamos à balada era quase meia noite, tínhamos colocado nome na lista para ganhar um desconto e entramos em uma fila mais rápida.

Dentro da balada estava tocando um eletrônico para esquentar o pessoal, e dava para ver que já tinha bastante gente, mas não estava lotado.

– E aí meu amor, como está?

– Eu acho que estou me acostumando, é estranho sentir o vento bater direto na minha bucetinha – Ao finalizar a frase ela deu um sorriso e uma risadinha.

No final ela ficou sem calcinha mesmo, deixamos a bolsa dela no guarda volumes e fomo beber e dançar.

Noite na balada com minha namorada putinha

A balada foi lotando aos poucos, nós fomos ficando mais animados, aproveitamos que estávamos em dois para ir mais para o meio e se soltar dançando.

Já estávamos na balada a um tempo e agora ela estava a todo vapor, eu virei para minha namorada e falei para ela me esperar em um local combinado, eu ia no banheiro e depois comprar um bebida, como você já deve saber comprar bebida na balada nem sempre é a coisa mais fácil e rápida, quando voltei com duas cervejas de longe eu vejo que ela está conversando com um cara, os dois bem próximos por conta com som alto, ele de vez em quando tocando nela como se isso ajudasse a ouvir melhor o que ela ia falar.

Fui me aproximando mais lentamente e vi que ela estava dando risada, isso me deixou bem animado, parece que a noite podia ficar mais divertida.

Esperei um momento em que o assunto do momento parecia ter terminado e eu me aproximei, dando um olá para o cara e oferecendo a cerveja para minha namorada, vou ser sincero, eu gosto de ver a cara de surpresa e confusão das pessoas, dá para ver que ele estava pensando se eu era apenas um amigo ou não, ela então falou:

– Amor, esse é o Gabriel(*). Gabriel esse é meu namorado!

Nesse momento pude ver que ele ficou sem jeito, e já ia sair, deve ter achado que estava desperdiçando seu tempo quando ela segurou sua mão e falou:

– Poxa já vai assim?

Ele não parecia mais tão animado, olhou para mim e depois para ela e falou:

– Eu tenho que encontrar meus amigos e tals.

Por ela ter tido a iniciativa de segurar a mão dele eu sabia que ela estava a fim, eu virei para ele e falei:

– Relaxa cara, eu não sou ciumento não.

Ele pareceu pensar por um segundo e então entendeu o que eu quis dizer, isso foi o suficiente para que o interesse voltasse.

– Ele agora estava bem mais próximo e passava a mão na cintura dela quando falava.

Eu fui ao ouvido dela e falei:

– Vai dar um beijo nele é?

Ela apenas olhou para mim com cara de safada e foi um pouco para frente, ele não perdeu tempo e deu um beijo bem molhado nela, ele passou os braços em volta dela e começou a beijar com vontade, enfiando a língua na boca dela, a mão dele foi abaixando e começou a apalpar a bunda da minha namorada.

Ficaram assim por uns minutos, eu assistindo ele beijar o pescoço dela, passar a mão em sua bunda e nos seus peitos e então ele foi passar a mão na sua buceta, nesse momento ele deve ter percebido que ela estava sem calcinha pois parou de beijá-la, olhou nos seus olhos e falou:

– Que safada você em!

Ela olhou para mim de canto do olho e depois voltou a olhar para ele, chegar bem próximo da boca dele e falou:

– Você ainda não viu nada!

Voltou a beijar com vontade e dessa vez ela estava com a mão no pau dele, dava para ver ela colocando a mão para dentro de sua calça, eu estava bem do lado só observando essa cena.

Ela virou um pouco para o meu lado e comecei a passar a mão em sua bunda, dava para ver que o cara estava com a mão em sua bucetinha.

Nesse momento ela parou de beijá-lo e falou:

– Vamos no banheiro! Quero mais privacidade.

Sem dizer mais nada fomos os três, eu na frente segurando uma mão dela e ela segurando a mão de Pedro.

Chegamos no banheiro e percebemos que não era uma boa ideia, tinha segurança e eles estavam de olho em quem entrava e saia. Para não perder o tesão falei:

– O banheiro pode não dar mas eu vi um motel aqui do lado.

Ambos gostaram da ideia, pegamos a bolsa da Ma e fomos pagar nossas contas.

Namorada putinha no motel comigo e outro macho

No caminho ela ia beijando a mim e ao Gabriel, dando uma atenção especial ao nosso novo amigo e pegando no seu pau de vez em quando, pareciam um casalsinho quando ele encoxava ela e dava beijos em seu pescoço.

Saímos da balada e fomo para o motel, sem perder tempo já fomo pegando um quarto e entramos.

Esse era o momento, ele não perdeu tempo e foi beijando minha namorada e levantando seu vestido, e ela foi tirando sua calça, eles já estavam com fogo, ela se ajoelhou na frente dele, deu uma boa olhada no pau dele e então olhou para mim e sorriu.

Com o pau na mão ela começou a lamber a lateral do pau dele e da uns beijos, foi até a base e lamber seu saco, voltou passando a língua e começou a lamber a cabeça do pau dele que tava duro e pulsando. Ele não resistiu e pegou a segurou pelo cabelo e começou a empurrar o pau de leve, e ela foi engolindo aquele cacete, quando já estava metade do pau dentro da boca dela e não entrava mais ela parou e me olhou novamente.

Eu amei ver minha namorada linda com o pau de outro cara na boca, podia ver no olhar dela que ela estava adorando, ela começou a punhetar ele enquanto mamava seu pau, e com a outra mão começou a massagear seu saco.

Eu tirei minha roupa e comecei a bater uma punheta vendo essa cena.

Pedro começou a tremer e era fácil imaginar o quanto ele estava gostando da língua da minha namorada no seu pau, ela percebeu também e começou a aumenta o ritmo, ele então gemeu e parou de se mover, dava para ver que e ele estava gozando na boca da minha gatinha.

Ela ficou parada por um momento e então começou a mover a boca, eu já sabia que ela estava passando a língua e limpando e chupando toda a porra dele.

Ela engoliu a porra, olhou para mim e deu sorrisinho.

– Estava bem gostosa a porra dele.

Ambos tiram o resto da roupa e ela deitou na cama abrindo bem as pernas, ele não perdeu tempo e caiu de boca na bucetinha dela.

Entre gemidos ela me olhou com uma cara safada e disse:

– Ta gostando de ver outro cara chupando minha bucetinha? O Pau dele tava muito gostoso na minha boca, vem cá me dar um beijo!

Não pensei duas vezes e fui beijar minha namorada, um beijo de língua bem gostoso e molhado, em alguns momentos ela parava para soltar um gemido.

Fui descendo e beijando seu corpo até parar nos seus peitos e fiquei lá chupando elas com vontade, senti o corpo dela tensionando e então soltando enquanto ela soltava também um gemido gostoso de quem gozou.

Gabriel percebeu isso e parou de chupar, eu também parei e ficamos olhando ela se contorcendo de prazer, eu levantei, peguei uma camisinha e entreguei para ele, ele apenas olhou a colocou no seu pau.

Deitou em cima da minha namorada e começou a colocar em sua bucetinha, ele começou devagar e foi aumentando, eu fiquei olhando aquele cacete entrar todo dentro dela. Quando já estavam em um ritmo bom eu subi e olhei enquanto eles se beijavam de com vontade chupando a língua um do outro.

Fui no ouvido da minha namorada e falei:

– Ta gostando de ser comida por outro cara? ta gostando de me fazer de corno sua safada?

– Sim! sim! to adorando o pau dele na minha buceta!

Adorei ouvir isso, e fiquei ali me punhetando e vendo essa cena maravilhosa.

Após um tempo pedi para eles se virarem, ele deitou na cama e ela subiu em cima dele, ela se encaixou e começou a cavalgar no seu pau, eu peguei um lubrificante e comecei a passar no seu cuzinho, ela olhou para trás e já sabia o que ia acontecer.

Comecei então a colocar um dedo no seu cu, e quando ela já estava acostumada e gemendo passei lubrificante no meu pau e comecei a colocar.

Eles tiveram que parar o vai e vem e eu fui colocando devagar no seu cuzinho, sentindo ele me apertar, quando ele já estava todo dentro começamos a ir devagar, ela começou a gemer como eu nunca vi, e falei no seu ouvido:

– Gostou de dupla penetração é?

– Gostei, adorei sentir dois paus dentro de mim ao mesmo tempo.

Continuamos assim e fomos aumentando o ritmo até que ambos estávamos bombando na bucetinha e cuzinho dela.

Percebi que ela ia gozar novamente e continuamos assim até sentir o corpo dela ficar tenso e depois começar a ter uns pequenos espasmos, o tesão estava tanto que nem paramos de enfiar nossos paus até que gozamos bem gostoso no cu e buceta.

Fomo lentamente tirando os cacetes de dentro e caímos os três na cama, eu olhei para ela e ela estava sorrindo com cara de criança feliz, ela me olhou e trocamos mais um beijo bem gostoso.

Enquanto nos beijávamos Gabriel não perdeu tempo e começou a colocar o dedo no cu da minha namorada, ela continuou me beijando e ouvi ele falar:

– Quero comer seu cuzinho também.

Ela me olhou, nós não tínhamos conversado sobre isso e eu sabia que ela não tinha certeza se devia ou não. Enquanto isso ele beijava seu pescoço e colocava o dedo no seu cu, eu olhei para ela e falei:

– Se você estiver afim você pode fazer o que quiser meu amor.

Ela voltou a me beijar e eu vi ele se levantar, pegar o lubrificante e passa no pau, deitou de lado na cama e começou a enviar, ela teve que parar e falar para ele ir mais devagar mas à medida que o pau dele foi entrando e ela foi se acostumando eu percebi o tesão que ela estava.

Ele começou a aumentar o ritmo e ela a gemer, eu falei:

– Agora ta dando ate o cu para outros é?

Ela me olhou com prazer e falou:

– To! e to adorando o pau dele no meu cu tbm, quero dar muito mais!

Eu estava adorando tudo isso, fui para baixo e fiquei olhando o pau dele entrar e sair do cuzinho apertado da minha namorada, fui me aproximando e então vi que sua bucetinha tava bem molhada, sem perder tempo comecei a chupar.

Ela gemeu alto quando eu passei minha língua na sua buceta e continuei chupando, de ponta cabeça para poder olhar o pau dele entrando nela, nessa posição ela deve ter visto meu pau duro dando bobeira pois ela segurou ele e começou a chupar com vontade.

Ficamos nessa posição, eu chupando sua buceta, ela chupando meu pau e enquanto isso ele colocava no cuzinho dela.

Em ordem fomos gozando, primeiro ela gozou gostoso na minha boca e no pau de Gabriel, depois eu gozei em sua boca e ela me chupou até ficar sem nenhuma porra e por fim eu vi ele gozar dentro do cuzinho da minha namorada, enfiando bem fundo enquanto seu pau pulsando soltava jatos de porra quente dentro dela.

Novamente paramos, deitamos todos um do lado do outro, e descansamos, óbvio que pegamos o telefone dele, mas outras aventuras fica para a próxima.

(*) Nomes fictícios para preservar a identidade.



Leia Contos eroticos relacionados

1 comentário para “Minha namorada soltinha na balada me fez o corno mais feliz

  1. Corno • 17 de setembro de 2020

    Olá…. Minha esposa é linda, maravilhosa, safada e gostosa, 40 anos, corpinho de 25…. já perdeu as contas da quantidades de Homens que ela já saiu .
    E eu o felizardo fiquei para ser um corno dela .
    Ontem a tarde um rapaz amigo da família dela deu uma cantada nela e ela como gosta demais de homens altos ,bonitos e cheirosos ,aceitou na hora o convite.
    Chegando no motel já combinados ,o rapaz pegou minha esposa no colo e deitou ela na cama com todo carinho e ali eles começaram o fervo ,ela de vestidinho acima dos joelhos ,salto alto ,aos poucos ele foi tirando o vestidinho dela e beijando ,deixou ela apenas de salto alto ,peladinha ,ela também ajudou a tirar a calça e logo já começou a chupar o pau do rapaz ,ela disse que é do gosto que ela sempre quis ,grande grosso e duro.
    Ela ficou de 4 na cama e mandando ele socar com força ,depois ela pediu para ele sentar na cadeira e ela já foi subindo no pau dele cavalgando forte ,e logo ela pediu de 4 novamente ,foi onde ele fez ela gozar ,namorar mais.um pouco e ela disse que precisaria ir embora ,fechou a porta do quarto do motel e ela disse ,nossa adorei sua caminhonete ,posso dirigir até perto de casa ,claro que o rapaz deixou ,mas antes o rapaz deu outra pegada aos beijos dentro da caminhonete ,puxou a calcinha de lado e meteu a cara de novo levando ela a gozar novamente ,desta vez sem camisinha mesmo.
    Acabando a farra ela me ligou dizendo tudo desde o começo ,foi onde eu como um bom corno resolvi contar aqui a vcs .
    Ela tirou foto da buceta dela toda vermelha por causa do cavanhaque na hora que chupou a bucetinha da minha Linda esposa .
    Da para perceber que a buceta dela estada toda abertinha de tanto levar pau.

Deixe seu comentário

Ler Contos Eróticos Reais Grátis.
© 2011 - 2020 - Contos Eróticos: Histórias Reais de Sexo, Contos Pornô

porno - contos eroticos - quadrinhos eroticos - xvideo - Filmes Porno - Porno Brasileiro - Xvideos - xvídeos

error: