Contos Eróticos - Top 10 Contos Eroticos - conto erotico (2020) » Contos de Sexo » Traição: Sexo com o Sogro do meu irmão as escondidas

Traição: Sexo com o Sogro do meu irmão as escondidas

  • 25 de setembro de 2019
  • 23757 views
3 votes

Chamo-me Gabriela, nome fictício. Tenho 28 anos e casei-me com a idade de 21, tenho um casal de filhos até agora e pretendo poder ter pelo menos um (quem sabe de meu DONO, rsrsrsrs). Meu marido chama-se Felipe, é um homem extremamente amoroso e que constantemente demonstra o quanto me quer bem. Trabalhador tem como função atual ser gerente de uma empresa de consultoria empresarial . Ele tem um ano a mais que eu na idade e, posso dizer a vocês que nos combinamos muito bem, realmente afirmo que nascemos um para o outro. Bem gosto demais dele, mas existem fatos que acontecem em nossa vida que mudam totalmente o rumo em que vivemos.

Eu fiz uma sinopse do que aconteceu, mas meu DONO que a colocou com coerência e em seu lindo estilo a narrativa abaixo, a fez corretamente e sob a forma de CONTO ERÓTICO. Por ordem dele contarei desde o começo como virei só sua, garanto que é a mais pura verdade o que relatarei abaixo, procurarei ser a mais coerente possível com tudo que me aconteceu, para poder transmitir a vocês a vida interessante que hoje levo, servindo a um DONO que me dá só prazer e alegrias mil e tendo um marido realmente companheiro e que o amo. Vivo uma vida diferente, eu sei, talvez não consigam entender essa Minha forma de ser, mas posso dizer que eu também às vezes não me entendo, apenas sei que é maravilhoso tudo que me acontece… Tenho experiências que me causaram admiração pela forma que ocorreram e que dariam para fazer um livro se as contasse integralmente, mas aqui é um breve relato.

Há cerca de três anos começou para mim uma nova vida, sou totalmente de um homem charmoso e inteligente ao extremo, é um relacionamento que me satisfaz muito, mas que teve um início bastante atribulado. Meu esposo até hoje nada sabe e nem desejo que venha saber, pois seria uma imensa desilusão a ele e, não desejo magoá-lo.

Sou bem branquinha, embora esteja quase sempre bronzeada, pois vamos às praias a cada quinze dias aproximadamente, cabelos lisos negros até o ombro. Meço 1.69, sou magra (58 kg) tipo mignon, de bundinha arrebitada e seios tamanho médio, procuro sempre estar na moda e bem sensual. Gosto de me exibir, de chamar a atenção dos homens e das mulheres também, porque não, embora até conhecer “Don Juan” tivesse sido totalmente FIEL ao meu marido.

Sempre gostei que todos me olhassem e ficava muito satisfeita intimamente quando mexem comigo na rua, por isso, sempre usei roupas bem provocantes, que delineiam minha sensualidade.

Tenho olhos azuis claros e um rosto de menina sapeca. Formei-me  e andei dando aulas em alguns colégios como professora substituta, mas não pude continuar porque além de me pagarem mal, eu precisava cuidar das crianças e da casa. Sinceramente confesso que até conhecer o meu DONO, depois que me casei nunca havia saído com outro homem senão meu esposo.

Confesso e acreditem é verdade mesmo! Mas de três anos para cá, sou outra mulher, que conheceu um verdadeiro homem que me satisfaz e me dá prazeres que nunca ousei experimentar, aliás, nem sabia que existiam tais prazeres…

Como falei, gosto de ser desejada, mas abortava de forma dura os que tentassem alguma coisa a mais que gracejos, ostentava uma aliança bem bonita e grande para que vissem que sou casada e não se atrevessem a tentar alguma coisa mais ostensiva. Essa forma de que sou, bem sensual é desejo de meu marido também, porque gosta de exibir-me como um troféu e despertar inveja de quem nos vê e com isso fica muito orgulhoso de mostrar-se ao seu meu lado, eu percebo que ele se excita vendo-me desejada, eu diria que é um fetiche nosso, pois tanto Felipe quanto eu adoramos esse despertar nos homens em especial, e nós dois ficamos excitadíssimos quando notamos esse frisson e sempre que podemos, agimos assim, independente do local que estamos. Eu sou exibicionista por natureza e meu marido gosta de mostrar-me, rsrsrsrs. Nunca conversamos sobre esta nossa fantasia, apenas fazemos…

Embora tenha um jeitão de ser malandrinha, tive poucos namorados antes de conhecer Felipe e apenas com um fiz sexo, mas depois de casada permaneci totalmente fiel, pois como eu disse, meu marido era suficiente para mim. Bem isso foi verdade até conhecer “Don Juan” . Não digo que não desejava outros homens, mas entre o desejar e o fazer havia uma distância enorme que não me atrevi a transpor. Nunca aconteceu, até…

Vamos lá, contarei como foi o início….

Eu e Felipe fomos a uma confraternização familiar, aniversário de minha cunhada, irmã mais velha do meu esposo, sem filhos, divorciada e que mora com a mãe. Minha sogra é arquiteta de grande prestígio e viúva há alguns poucos anos. Residem no mesmo bairro que nós, a casa em que moramos é presente de meu falecido sogro quando nos casamos. Naquela ocasião minha cunhada já morava com eles aproximadamente uns seis meses, desde que se separou do companheiro e voltou para a casa dos pais.

Eu naquele dia estava muito excitada, provavelmente em razão de estar ovulando, e ainda mais depois de um banho reconfortante e complementado por um creme delicioso no corpo. Coloquei uma roupa sensualíssima como meu marido já me havia pedido, ele em reunião intima gostava de mostrar-me e despertar tesão em seus familiares. Escolhi uma roupa linda, bem chamativa, diria até exuberante: um conjunto azul claro que combinava com meus olhos e que deixava um bom pedaço de minha coxa esquerda exposta e sem sutiã, com um decote que deixava também metade de meus seios à mostra. O conjunto adequado ao meu corpo – ficou bem torneado em mim, tinha um corte do lado esquerdo que ia até encima e quando eu cruzava as pernas dava pra ver até a calcinha se eu deixasse… E, como complemento Felipe escolheu uma lingerie bem curtinha que combinava com o que eu vestia. Era azulzinho também, fio dental que entrava bem em minha bundinha, foi comprada por meu marido e que me pediu para usar.

Quando lá chegamos, senti diversos olhares em minha direção, aliás, como sempre acontecia; mas desta vez eu notei alguma coisa diferente no olhar de seu Vinicius, sogro de meu irmão, especialmente. Ele sempre pareceu olhar-me com certo fervor, mas eu entendia aquilo como um elogio e até o provocava brincando, mas naquele instante, ele me comeu com os olhos de forma fixa, diria até exagerada.

Depois eu percebi seus olhos me seguindo por diversas vezes na festa.

No início, lisonjeada, permiti até que dissimuladamente, ele visse parte de minha calcinha quando se posicionou à minha frente, mas com a sua insistência já estava se tornando inconveniente, com os seus olhares firmes e constantes, aquilo me incomodando mesmo, fazendo-me já esquivar-me dele.

Felipe perdia-se em conversas com amigos e de vez em quando aparecia e me dava um beijinho no rosto ……. Eu estava com tesão a flor da pele e procurava excitá-lo dizendo à ele “… quero-te inteiro logo mais, hem”, ele ria ….

Aquela noite eu queria transar com meu marido de forma intensa, estava precisando. Foi depois de uma dessas aparições de Felipe que seu Vinicius surgiu por trás de mim sem que eu tivesse percebido…. Ele chegou perto de mim e disse “eu sei que você trai o Felipe” , eu disse “o Senhor está louco seu Vinicius?” .

…Tentei ser sarcástica pra disfarçar minha surpresa indignada. Ele falou mais ou menos isso “eu vejo esse seu jeito de piranha metida e vou te provar, eu tenho fotos suas com um camarada“.

Eu estava perplexa. “eu nunca traí o Felipe, e que negócio é esse de me chamar de piranha seu Vínicius? “.

“E aquelas fotos com aquele cara?”.

“Que fotos, o Senhor tá louco ?”.

“Eu te mostro, vamos lá encima no terceiro andar, no meu escritório”.

Embora não quisesse ir porque não haveria foto nenhuma, mas fiquei de certa forma curiosa, poderia ser outra pessoa e ele estava achando que era eu, sei lá, ou uma montagem, coisa tão comum hoje em dia. Olhei ao redor para chamar o Felipe para ir conosco, mas ele havia sumido de novo.

“Vamos lá ver e você me prova minha querida, ….”

“Vou sem vontade de ir, para provar ao senhor de que sou uma mulher séria e que nunca deixe de cumprir minha função de esposa fiel e não deixar dúvidas alguma sobre meu comportamento, mas depois irei contar ao Felipe o que está me falando”.

Então, resolutamente segura de mim comecei a subir rapidamente as escadas…. Dava pra ouvir o barulho da respiração de Seu Vinicius logo embaixo de mim na escada. Eu não parava de pensar que aquele velho estava ficando maluco e podia estragar meu casamento por uma cisma dele. Ao mesmo tempo em que, não sei muito bem por que, a respiração ofegante dele atrás de mim, embora me fizesse surgir o pensamento: “velho tarado” já quase chegando à porta, sentindo que ele poderia estar vendo, e estava com certeza vendo minha calcinha enquanto eu subia, excitou-me e eu fiquei envergonhada e quis voltar, mas ….

Ele disse “Não! agora você vai lá ver sua putinha e me explicar que fotos são aquelas”. Eu já começava a acreditar nas fotos.

Mas que fotos? Seu Vínicius, que negócio é esse de putinha?”

“não tem foto não, mas eu sei que você é uma putinha e trai descaradamente o Felipe. piranha metida!”. É o que posso me lembrar de tê-lo ouvido dizer entre outras coisas. … e aquilo estava me deixando excitada…

Pude vê-lo desafivelando o cinto e abaixando a calça e a sua cueca e surgir já surpreendentemente ereto, um pênis maior do que o do meu marido, aliás, muito maior. Lembro-me de ter-me impressionado nos breves segundos com a envergadura do membro, já que pude olhar com nitidez. Causou-me espanto estar já tão duro. Não esperava de causar-lhe tal efeito, confesso. 

Tudo me excitava de uma forma que não sei explicar, pois estava com tesão a flor da pele, e já estava assim desde o período da tarde de hoje….

Seu Vinicius percebendo minha excitação falou para lamber seu pênis…  Seu Vinicius é sogro de meu irmão, se Felipe descobrir, se minha família vem a saber. Outra ordem de forma incisiva: “chupa puta, que ninguém vai saber..”  dizia isso entre outras coisas que não me lembro bem…. 

Perdi  a vergonha da situação, e deixei os instintos predominarem e coloquei a boca em direção ao pau dele. Não era mais dona de mim e meus lábios se aproximaram daquele pau imenso e comecei a chupar devagar, curiosidade e receio ao mesmo tempo, incrível, o receio de quem comete um crime, aos poucos, bem devagar, mas com um prazer crescente ao som dos gemidos que ele mostrava e falava… Lembro-me bem que nesse momento levantei os olhos para vê-lo melhor e à sua reação e, o vi mordendo os lábios, gemer mais alto e fazer que sim com a cabeça, como que aprovando e dizendo delicadamente “pode chupar…”….

Então, estremeci de tesão puro e com o instinto dominando-me, envolvi a cabeça do pau de Seu Vínicius todinha com meus lábios e, chupei, chupei a cada instante com mais vontade e sofreguidão, com meus olhos tentando ver seu rosto e a aprovação dele e vi que me olhava satisfeito enquanto murmurava sorridente entre gemidos “isso, puta, agora sim, assim que se faz putinha. Que delícia! Eu sabia, eu sabia… Eu sabia Gabriela que tu eras uma puta mesmo! Que delícia te ver assim. Que boquinha! Putinha! Linda! Piranha! Assim… que delícia!” E eu chupava já completamente molhada e languidamente entregue, submissa; acho que surpreendendo até a Ele pela volúpia e devassidão que estava a tomar conta de mim…

Chupava com gosto sentindo o leve aroma de perfume que exalava dos pelos de sua virilha. Ainda surpreendida, mas já completamente envolvida pelo prazer, inclusive as coisas que ele falava já não sentia ofensa e um lado do rosto latejante e vermelho pelo tapa que ele dera. “ta muito boa essa boca, sua vadiazinha linda.”. Ele tirava o pau da minha boca e mandava que eu lambesse o saco e eu obedecia entorpecida, desfalecida, entregue, ávida, prazerosa. Lembro-me que ele falava sem parar e suas palavras iam me excitando loucamente cada vez mais. “Isso, assim puta! Humm, muito bom, chupa muito bem, cadela, tem vocação profissional, eu sabia. Piranha mesmo, eu sabia! Aquele viadinho do Felipe… não sabe e nem vai saber. Pode ficar tranqüila Gabriela, você é mesmo vadia, pode chupar. Chupa!”. Num ato mais nervoso e parecendo super-excitado, ele largou do meu cabelo com a mão direita sem que tirasse sua virilha do meu rosto e bateu entre meus joelhos com força para que eu abrisse mais minhas pernas. Eu, ainda inibida, mas já sem pudor, abri vagarosamente até abrir tudo e ele enfiou por entre elas sua mão atrevida e massageou com força meu clitóris e depois enfiou um dos dedos me fazendo gemer …. “Puta merda. Gabriela como é gostosinha a vadia. Bucetinha do jeito que eu gosto: pouquinho pêlo e encharcadinha, tenra e macia. Agora levanta piranha, aquele corno do Felipe não te dá o que você precisa.  Sei que é vadia!”.

Não me perguntem por que de tanto prazer, não sei mesmo explicar.

“Apóia as mãozinhas na mesa e vira a bundinha para cá piranha”. – disse ele com uma voz delicada…. Eu me posicionei, e tamanho já era o tesão que eu resolvi ajudar e eu mesma suspendi com dificuldade o vestido apertado até acima da cintura. Ele deu uma gargalhada mais forte. “Agora já ta doida que eu lhe enfie logo a pica hem, és vagabunda e Eu sabia. É uma piranha mesmo, Eu já desconfiava a muito tempo… Eu sabia…. Quanto tempo Eu perdi que ainda não fudi essa buceta… “

Foi quando ele se aproximou mais e senti sua mão puxando a calcinha para o lado e encostar o pau enorme. “Está morrendo de vontade hein?”.Eu nunca tinha sido penetrada por um pau tão grande..

Ele e nfiava o dedo na minha boca que eu chupava gulosamente, dava tapinhas na minha cara, até que se inclinou todo por sobre as minhas costas, puxando pelo lado esquerdo do cabelo para que eu oferecesse o meu ouvido e falou mais baixo e num tom mais grave “você agora é minha putinha, Gabriela minha piranha. Eu sou seu Dono. Seu Dono! Felipe não saberá de nada e continuará sendo seu marido corno sem saber de porra nenhuma. “. Eusó gemia, estava quase gozando, me inclinava mais para traz pra que ele entrasse todo …

E ele me perguntou: “Maria quer gozar?” Eu fiz que sim com a cabeça novamente quase suplicando.

Ele mandou “então fale repetindo o que eu vou mandar – e eu fui redizendo chorosa à medida que ele ia falando: “eu, Gabriela, agora sou a cadelinha do meu Dono e Senhor Sr. Vinicius, que chamarei de ora em diante de “Don Juan” e eu farei tudo que Ele mandar, sem questionar ou reclamar de qualquer forma, somente dando PRAZER; serei tudo que uma putinha obediente tem que fazer quando seu Dono mandar…”

Eu estava adorando aquela sensação de ser dominada por outro macho e falava “eu sou sua puta mesmo me fode…”, foi então que  eu comecei a gozar alucinadamente, alucinadamente… como eu nunca havia gozado na minha vida…. sem controle,  gozando sem parar. Gozei várias vezes, uma atrás da outra. Eu não acreditava que era possível gozar assim, gemi e gritei sem receio de que alguém pudesse ouvir lá fora. Eu o ouvi quase uivar e o senti gozando dentro de mim, me inundando inteira e já com seu dedão da mão direita todo enfiado em meu ânus. Nesse dia, acho que foi uma das poucas vezes que ele gozou também dentro de mim, na minha xana, eu digo, Ele adora minha bundinha, rsrsrs.

Ele me ajudou a me recompor para que eu saísse em segurança. Eu tive ímpetos de agarrá-lo e beijá-lo por me fazer gozar assim, mas eu saí  envergonhada… rs

Meu marioo não demonstrou desconfiar de nada, graças a deus…Eu nunca o havia traído, mas vou não procurar falar muito aqui, dos meus dramas de consciência da época, que quase já nem tenho mais, porque superei tudo, isso porque hoje sei com toda a convicção que tenho um DONO que me faz sentir-me uma fêmea satisfeita e feliz.

Vou tentar mais transcrever o que ocorreu e minhas reações. Quando chegamos em casa, Felipe  tentou alguma gracinha, mas eu não queria mais nada até por que estava me sentido culpada, mas com tudo isso sentia uma estranha sensação de satisfação e leveza indefinível.

Meus pensamentos não cessavam : “será que eu era mesmo que o “Don Juan” falou: uma cadela e puta dele agora? Não sabia o mais que pensar, embora meu corpo já soubesse o que minha mente recusava a aceitar: eu era a vadia de meu DONO, este homem que tanto prazer me deu e que nunca havia experimentado com tal vigor e satisfação.”

Eu me perguntava por que esse prazer desenfreado? Mas o cansaço foi maior e venceu, até que dormi e sonhei com tudo que aconteceu e estranhamente lembrava-me dele como “Don Juan” e não mais como Seu Vínicius. Sonhei que continuava lá na mesa do escritório de “Don Juan” completamente exposta a Ele e o som de sua voz ecoava estranhamente pelo meu corpo fazendo-me tremer de novo, como nunca havia tremido. Por que tremi tanto? Acordei molhada, excitada mesmo e já eram 10 horas da manhã…mas o barulho do Felipe no banheiro do quarto retornou-me à realidade. Estava de calcinha sob a coberta…

Mas apesar de todo prazer, me incomoda o constante drama de consciência que vivo. “Don Juan” conduz a coisa de tal forma que até hoje Felipe não desconfia de nada. Essa vida que passei a levar de três anos pra cá, não tem nada com o que eu considero, aliás, considerava ser uma vida normal. Vida normal é a que eu levava. O fato é de estar assim tão entregue ao meu DONO que me faz não conseguir viver sem Ele, não sei o que acontecerá se um dia Ele me dispensar. Claro que hoje não tenho PRAZER quando eu e Felipe transamos, embora eu o ame muito, não sinto quase nada de tesão por meu marido em comparação quando eu estou com meu DONO, são situações bem diferentes. Com “Don Juan” libero-me de qualquer limite, sei que não serei julgada por Ele.

Posso disser que amo aos dois, embora de modos diferentes, não sei explicar em palavras. Uma outra coisa mudou também, meu modo de vestir em público, hoje estou bem mais discreta, não gosto de chamar atenção dos homens como anteriormente, apena um homem faço questão de me mostrar radiante e demonstrar com sua realmente uma puta e, vocês sabem quem é, rsrsrs.

Sou muito FELIZ e SATISFEITA com a vida dupla que levo e muito obrigada por poderem ler esta minha narrativa ERÓTICA…



Leia Contos eroticos relacionados

20 comentários para “Traição: Sexo com o Sogro do meu irmão as escondidas

  1. Marta • 30 de setembro de 2019

    Eu adorei queria conta os meus tambem

  2. Ronaldo • 1 de outubro de 2019

    Parabens muito bom esse seu relato se alguma mulher ou casal quiser entrar em contato comigo sou muito sigiloso

  3. Guino • 8 de outubro de 2019

    Conta que sabe vai ser bem melhor e gostoso pra se ler

  4. Renata • 15 de novembro de 2019

    Poderíamos fazer algo a 3

  5. Gustavo • 26 de novembro de 2019

    Parabéns. Tbm já tive o prazer de fazer várias mulheres a te múltiplos orgasmos

  6. Lua • 30 de novembro de 2019

    Meu sonho achar um homem assim

  7. gostoso • 13 de dezembro de 2019

    Se alguma mulher estiver afim meu contato

  8. Erick • 28 de dezembro de 2019

    Que delícia de conto, tenho 50 anos é um pau grande e grosso, e sei fazer bem gostoso
    Com casadas e novinhas.

    • Bia • 23 de abril de 2020

      Adoro homens de sua idade! Já sou madura, tenho 44 anos, mas gosto de homem com mais idade.

  9. Francisco • 15 de janeiro de 2020

    Gabriela muito bom seu conto muito excitante estou de pau duro ,reli várias vezes muito bom

  10. Francisco • 15 de janeiro de 2020

    Gabriela muito bom seu conto muito excitante estou de pau duro ,adoraria encontrar alguém como vc

  11. Beto • 17 de janeiro de 2020

    Gostei de ler seu conto.
    É sei que se tornou…então pela descoberta vc merece outras poças, entre em contato que mostrarei a vc o poder que leva uma pita a sentir pra ser por ser pita.

  12. Leonardo • 18 de janeiro de 2020

    Muito boa e interessante tua história, eu hj tenho 39 anos, mas já vivenciei no mínimo umas 5 histórias assim de comer casadas manter uma relação de uns 2 anos transando frequentemente, e maridos nunca saberem, só que no meu caso elas, não quiseram mais o marido e houve separações, e queriam até casamento comigo, aonde nesse. São não rolou, pq eu. Ao sirvo pra casar, curto ser solteirão, rsrs

  13. Pedro • 22 de janeiro de 2020

    Mulheres que quiserem falar de sexo me chama no WhatsApp xnxx

    • Bia • 23 de abril de 2020

      Delícia falar sobre sexo…

  14. Germano • 24 de fevereiro de 2020

    Que cara de sorte

  15. Jusci • 25 de março de 2020

    Olá Renata quer me conhecer. Vamos gozar muiti. Meu zap xxxx

  16. K. • 4 de abril de 2020

    Conto maravilhoso. Parabéns

  17. Renan • 6 de abril de 2020

    Que conto maravilhoso em gosto muito de ler contos e aventuras com casada se alguma quiser me add xxx sou do interior de SP, posso viajar pra comer uma cansadinha com seu corno olhando só me chama

  18. Danieli • 10 de abril de 2020

    estou disponível

Deixe seu comentário

Ler Contos Eróticos Reais Grátis.
© 2011 - 2021 - Contos Eróticos – Top 10 Contos Eroticos – conto erotico (2020)

porno - contos eroticos - contos eróticos - quadrinhos eroticos - xvideos - Filmes Porno - Porno Brasileiro

error: