Sexo com meu pai

  • 16 de julho de 2020
  • 687 views
15 votes

Olá, atualmente tenho 21 anos, mas quando essa história aconteceu, eu tinha 18 .

Meu pai e minha mãe são separados há alguns anos, sendo que eu fiquei morando com Minha mãe.

Eu e minha irmã sempre íamos visitar meu pai nos finais de semana. Ele tinha se casado com outra mulher após o término com a minha mãe, e a relação entre nós (eu e minha irmã) com ela não era muito boa. Dava pra notar também que meu pai tinha se arrependido de ter casado com ela, até pq ele é bem bonito (e gostoso, diga-se de passagem). Ele tinha 44 anos, corpo troncado, pele um pouco morena, grisalho, com olhos verdes. Era um coroa que conseguiria pegar qualquer “novinha” por aí, enquanto ela era muito magra, e até um pouco feia.

Enfim, toda sexta feira íamos na casa dele pra visitar, e ficávamos até domingo à noite. Com o passar do tempo, eu deixei de ser só mais uma garota magrinha, e fui encorpando. Meus peitos cresceram, e principalmente minha bunda, aumentou muito o tamanho. Minha raba é realmente grande.

Obviamente que meu pai percebeu isso, e ficava me olhando de canto de olho, principalmente quando eu vestia um shorts curtinho, quase na virilha

No começo, eu não fazia isso pra provocar ele, mas depois de um certo tempo, quando eu já tinha percebido os olhares dele, eu fazia só pra ver a reação dele, e ver se era verdade o que eu está pensando.

Quando eu tinha 18 anos, minha irmã se casou, e mudou de cidade. Então, só eu ia na casa de meu pai.

A minha relação com minha madrasta tinha piorado bastante, e ela já não queria que eu fosse lá, mas eu não estava nem ai, eu ia lá ver meu pai, e não ela.

Ele mesmo já tinha discutido com ela diversas vezes, porque ele não me impediria de ir visitá-lo.

Depois de algum tempo, e estava com os hormônios a flor da pele, ia visitar ele somente no sábado a tarde e ia embora domingo de manhã.

Transei com meu pai

Foi num desses dias que tudo aconteceu…

No sábado, quando cheguei, ele estava deitado no sofá, assistindo TV. Dava pra notar nitidamente que ele olhava meu shorts apertado, que marcava a minha buceta. Eu vi que tinha um volume em suas calças, que aumentava cada vez mais enquanto ele olhava meu shorts.

Aquilo me deixou que nem uma cachorra no cio, só de imaginar o pau dele, minha buceta tinha até se molhado toda.

Eu fui para o quarto, e fiquei durante uns instantes, até que ele apareceu na porta, estava com o celular na mão, e queria que eu desse uma olhada, porque o celular estava sem sinal de internet. Eu prontamente arrumei o celular, e pra me certificar que estava tudo ok, entrei no Google, com o intuito de ver se estava com a internet funcionando, quando carrega a primeira página, tinha um Porno, de pai com filha, que estranhamente se parecia muito comigo, eu fiquei meio sem graça, e com muito mais tesão que antes.

Ele rapidamente tirou o celular da minha mão, e me pediu desculpas. Eu até tentei falar pra ele que era normal, que estava tudo bem, mas ele só saiu sem dizer mais nada

Na janta, nem uma palavra, depois quando fomos ver TV, também nenhuma palavra sequer. Já era umas 11:30 quando eu fui pra cama. Ele e minha madrasta também foram se deitar, a casa estava num silêncio completo, depois de umas 2 horas, ouço a porta do quarto do meu pai se abrir, e segundos depois, a do meu quarto.

Ele entra, e noto que me olha por um bom tempo, então ele vem pra perto da cabeceira da cama, vejo um volume muito grande em sua cueca. Eu, fingindo que tinha acabado de acordar, pergunto pra ele o que ele estava fazendo no meu quarto, e ele me fala:

– Você disse que aquilo no celular era normal, então eu vim tirar a prova.

Se me lembro bem, depois disso ele tirou o pau pra fora, e gente, que pau gigante!!!! Devia ter um 25 cm, bem grosso, veiudo, com uma cabeça vermelha pulsante. Eu fiquei estática na cama, enquanto ele avançava o seu pau em direção a minha boca.

Eu levantei da cama e me ajoelhei no chão. Comecei Chupando as bolas, fazendo uma massagem no pau, depois passei pra cabeça da rola. Passava a língua calmamente, sugando de vez em quando. Eu sentia ele tremer, e eu também, enquanto ele gemia, coloquei minha calcinha de lado e comecei a dedilhar minha buceta, ela pingava tanto, que até caia no chão.

Eu chupava ele loucamente, enquanto ele agarrava meus cabelos e puxava minha cabeça pra rola dele, quando eu ia pedir pra ele foder minha pepeca, escutamos um barulho no quarto dele. Ele rapidinho ergueu sua cueca e saiu do meu quarto. Eu fiquei lá, ajoelhada no chão, com a buceta pingando e com o gosto do pau dele na minha boca. Como já não se podia fazer mais nada, fui dormir.

No outro dia de manhã, ele me olhava com muita vontade e safadeza, e eu retribuía os olhares. Quando foi 10 horas da manhã, minha madrasta falou que estava indo na casa da mãe dela, e saiu.

Eu e meu pai estávamos no sofá, vendo tv, quando vimos ela saindo do portão pra fora, nos dois nós olhamos, e perguntei:

– Vai querer terminar?

Ele balançou a cabeça dizendo que sim, e já foi tirando o shorts e a cueca, enquanto eu tirei minha blusinha e o shorts, ficando só de calcinha e sutiã na frente dele.

Agora, de dia, ficava mais nítido o tamanho daquela coisa. Era realmente grande, e me dava água na boca.

Ele sentou do meu lado, e eu deitei com a cabeça no colo dele. Comecei a chupar ele novamente, só que agora pela cabeça. Eu nunca vou esquecer do gosto do pau dele. Era tão grande que quase não cabia na minha boca. Eu sugava e mexia, enquanto ele enfiava a mão por baixo da minha calcinha e massageava a minha bunda, socando o dedo na minha bucetinha.

Depois de alguns minutos, pedi pra ele me foder, subi em cima dele, na posição de cavalgada, e comecei a quicar. O pau dele entrava devagarinho, e dava pra sentir bem ele dentro de mim. Enquanto me fodia, ele falava:

– Vai filha, rebola no papai, vai, sua putinha!

Eu respondia:

– Soca papai, soca esse pauzão na tua filha cachorra. Me promete que sempre vai me foder desse jeito!

Gozei 3 vezes encima dele. Depois de uma meia hora, ele me colocou de joelhos e eu comecei a chupar de novo, foi quando senti ele tremer e minha boca se encheu de porra quente. Eu abri minha boca e mostrei pra ele o leitinho que ele tinha me dado. Engoli tudinho, e ainda chupei mais um pouco o pau pra ver se saia mais leite.

Eu levantei, ele chupou meus peitos, me deu um beijo de língua e disse:

– Vou te fuder sempre que você vir aqui, minha putinha.

Demos outro beijo, e fui pro banho, enquanto ele se vestia.

Depois de uns 10 minutos minha madrasta chegou, e nós dois agimos como se nada tivesse acontecido.



Leia Contos eroticos relacionados

2 comentários para “Sexo com meu pai

  1. Silvio • 17 de julho de 2020

    Uma delícia para essa manhã!

  2. Marcio • 19 de julho de 2020

    gostei me chama no zap xxx

Deixe seu comentário

Ler Contos Eróticos Reais Grátis.
© 2011 - 2020 - Contos Eróticos: Histórias Reais de Sexo, Contos Pornô

porno - contos eroticos - quadrinhos eroticos - xvideo - Filmes Porno - Porno Brasileiro - Xvideos - xvídeos

error: