Contos Eróticos: Histórias Reais de Sexo, Contos Pornô » Gays » Dando meu cuzinho ao desconhecido

Dando meu cuzinho ao desconhecido

  • 17 de setembro de 2020
  • 1974 views
1 vote

Me chamo Gilberto(nome fictício) e vou compartilhar com vocês o que aconteceu comigo há alguns anos atrás, quando eu trabalhava como entregador no centro da cidade.

Certa vez precisei levar um envelope para um determinado endereço. Eu não sabia onde era, então decidi pedir informações a um senhor, cerca de 40 anos, que estava parado em frente a uma banca de jornais onde eu tb estava parado uns instantes, lendo as manchetes que estavam expostas. Ele me disse que estava indo para lá e que se eu quisesse poderia ir junto com ele.

Eu fiquei meio desconfiado mas mesmo assim aceitei a gentileza. Estávamos próximo ao Teatro e iríamos andando até o endereço de destino, é uma bela caminhada, então deu tempo de conversar sobre muita coisa. Falamos sobre futebol, governo, clima e, é claro, mulheres. Num determinado ponto da conversa, já que eu era bem mais novo que ele, tinha 18 anos, ele me perguntou se eu já tinha transado. Na verdade eu só tinha dado uns amassos, mas nunca tinha ficado com uma mulher antes. Mas eu disse que sim, claro. Então ele me perguntou:

_ Com mulher?

Eu respondi: _ Sim, claro!

Então ele emendou: _ E com homem?

Eu fiquei assustado e indignado com a pergunta, mais assustado que indignado. Respondi que não, nunca.

Virou para mim e disse:

_ Você não quer ir comigo até meu apartamento, só pra gente se divertir um pouquinho, se você não quiser fazer nada a gente não faz, prometo?

Eu fiquei com muito medo, mas confesso que aquela abordagem totalmente descarada me deixou com muito, mas muito Tesão. Então o tesão superou o medo e eu falei para ele que iria, mas que eu estava confiando nele que se não fosse para acontecer nada não aconteceria.

Ele me deu sua palavra, bem sério, então eu consenti e fomos para o apartamento dele logo depois de eu fazer a entrega que tinha que fazer. Já era umas 18h30, estava escuro já, mas o apartamento dele era realmente perto. Entramos, passamos pela portaria, fomos para o elevador e eu confesso que já estava muito ansioso e excitado com aquilo tudo.

Entregador dando o cuzinho ao desconhecido

Entramos no elevador e logo em seguida entraram mais três pessoas. O elevador era pequeno, antigo, então eu tive que encostar no Jorge  e foi então que senti que o pau dele estava duro que nem ferro. Eu não resisti àquele volume e sutilmente levei a mão para trás e acariciei aquele membro duro por cima da calça. Ficou claro então que a investida dele valeu à pena.

Entramos no apartamento, eu olhei em volta, me assegurei que não tinha ninguém então fui em direção ao Jorge e mais uma vez alisei o pau dele por cima da calça, achei o zíper, abri e aquele pauzão praticamente pulou para fora da calça. Ele me puxou contra ele, me virou de costas e começou a apertar minha bunda enquanto mordia minha orelha e meu pescoço dizendo:

_ Vem aqui sua putinha.

Eu adorei aquilo, adorei ele me chamando de putinha. Então eu virei de frente para ele, desabotoei a calça dele, abaixei para tirá-la e então pude sentir o cheiro daquele caralho junto ao meu rosto. Eu comecei a chupar imediatamente. Primeiro lambendo bem devagar.

Na mesma hora senti o gosto do sêmem que ele já tinha gozado, a cabeça do pau estava toda molhadinha de porra que eu lambi todinha, depois abocanhei toda aquela rola gostosa e comecei a punhetar com a minha boca. Ele dizia:

_ Chupa, chupa gostoso sua putinha. Eu sabia que você gostava.

Eu continuei chupando até que ele me disse que iria gozar. Então eu parei, fiquei em pé e falei para ele que ainda não, porque eu queria sentir aquele pau no meu cuzinho. Ele me disse então:

_ Quer dar o cuzinho, né? Eu to loco pra comer essa bunda gostosa, desde a hora que eu te vi na banca.

Modéstia a parte, minha bunda é melhor que a de muita mulher por aí. Então ele me pegou, virou de costas para ele, abaixou minha calça e enfiou a língua no meu cuzinho. Enquanto isso, com a mão direita pegou meu pau que já estava muito duro e gozado e começou a punhetar. Ele então parou de lamber o meu cú e eu percebi que ele enfiou o dedo indicador da mão esquerda na própria boca, deixando ele bem molhado, então enfiou o dedo no meu cú, com muito carinho, enquanto me punhetava com a outra mão e mordia minha bunda falando sacanagens, me chamando de puta, de vagabunda. Eu não estava aguentando mais e gemi para ele dizendo:

_ Vem, come meu cú, vem. Mete esse pau gostoso no meu cú, mete.

Ele se levantou, levantou minha perna direita e apoiou sobre o encosto do sofá, então colocou a cabeça do pau no meu cú e começou a forçar a entrada. Assim que ele sentiu que a cabeça entrou, me agarrou forte pela cintura e enfiou gostoso a rola toda no meu cú. Eu gemia igual uma puta mesmo, fiquei louco com aquilo. Comecei a rebolar no pau dele e mandar ele meter mais.

_ Come safado, come essa bunda, vai, mete gostoso, fode meu cuzinho, fode.

Ele metia, metia, metia e metia cada vez mais forte, num movimento de vai e vem que me deixou louco. Então ele me disse que iria gozar. Eu, então, relaxei bem a minha bunda, deixei ele enfiar bem fundo e falei:

_ Goza, gostoso, goza. Enche meu cuzinho de porra, enche.

Ele então deu uma estocada bem forte, encostou a virilha na minha bunda, segurou forte e eu pude sentir o pau dele pulsando forte dentro de mim enquanto um jorro quente e gostoso enchia meu cú e transbordava. No mesmo instante eu gozei também, meu pau latejava e jorrava porra em todo o sofá. Eu quase gritei de tanto prazer, ele também. Então fomos relaxando, ficamos em silêncio e acabamos pegando no sono. Eu acordei lá na casa dele, o sofá era de abrir, virava uma cama. Ele abriu de noite, pegou um lençol e me cobriu, deitou ao meu lado e dormiu também.

No dia seguinte eu acordei e logo depois ele também acordou. Me falou bom dia, se eu tinha dormido bem. Eu respondi que sim. Então ele levantou e foi ao banheiro, pelado como estava. Quando voltou do banheiro ele se deitou ao meu lado e eu não disse nada, só comecei a acariciar o pau dele, que foi ficando duro. Eu olhei para o rosto dele e ele estava de olhos fechados, o pau endurecendo mas ainda não totalmente. Então eu comecei a chupar o pau dele bem devagar. Ele não abria os olhos só ficava gemendo gostoso, colocou a mão na minha cabeça e apertava contra o pau dele, que ficou muito duro.

Eu chupava e punhetava gostoso, ele estava gostando, tanto que até estremecia enquanto eu chupava. Então eu comecei a falar enquanto chupava e lambia aquela rola gostosa:

_ Tá gostoso, tá? Você gosta que eu te chupe?

Ele respondeu: _ Muito, que chupada gostosa.

Então eu punhetei e chupei mais gostoso ainda, molhei bem a boca com muita saliva e deixava o pau dele muito molhado. Que delícia de rola, estou gozando agora mesmo só de lembrar. Então eu disse para ele.

_ Goza aqui, goza. Goza na minha boquinha.

Ele respondeu: _ Você quer que eu goze na sua boca?

Eu respondi. _ Quero gostoso, quero sentir essa porra quentinha na minha boca.

Então ele falou: _ Pede então, fala pra eu gozar na sua boca.

Eu comecei a pedir: _ Goza gostoso, goza na minha boca. Deixa eu sentir essa porra quentinha, gostosa na minha boca. Vem gostoso, goza.

Eu senti o pau dele pulsando forte enquanto ele gemia muito. Então ele forçou minha cabeça para baixo e eu enfiei todo aquele caralho grosso, quente e molhado de porra na minha boca. Ele começou a gozar muito, eu engolia e me lambuzava todo com aquele porra gostosa enquanto ele gemia de prazer. Lambi tudinho, deixei aquele pau gostoso limpinho. Então levantamos, tomamos um banho, café da manhã e fomos cada um para o seu lado. Eu não dei o meu telefone para ele, mas peguei o dele. E liguei mais duas vezes para repetirmos a aventura. Depois eu conto como foi.



Leia Contos eroticos relacionados

3 comentários para “Dando meu cuzinho ao desconhecido

  1. Leandro • 14 de outubro de 2020

    Fiquei excitado e com o cu piscando, louco pra dar!

  2. Luiz • 20 de outubro de 2020

    Eu tbm, tenho maior vontade de perder a virgindade mas me falta coragem, ja fui duas vezes no cinema pornô, porem em uma dessas vezes quase consegui pois Chegou perto um senhor que enfiou a mão dentro da minha calça e começou a enfiar o dedo no meu cuzinho, me beijou e me chamou para irmos ao banheiro. mas estava quase na hora do fechamento do cinema. Ele me convidou para ir na casa dele mas fiquei com medo. Dei meu contato para ele. Achou que ele perdeu pois nunca entrou em contato.

    • Flavio • 2 de novembro de 2020

      Entre em contato, sou casado, nunca fiz mas tenho fantasia foder um macho

Deixe seu comentário

Ler Contos Eróticos Reais Grátis.
© 2011 - 2020 - Contos Eróticos: Histórias Reais de Sexo, Contos Pornô

porno - contos eroticos - contos eróticos - quadrinhos eroticos - xvideos - Filmes Porno - Porno Brasileiro - Xvideo - xvídeos

error: