Contos Eróticos: Histórias Reais de Sexo, Contos Pornô » Contos de Sexo » O dia em que perdi a virgindade com uma mulher casada

O dia em que perdi a virgindade com uma mulher casada

  • 15 de novembro de 2020
  • 3828 views
2 votes

Ola, meu nome é Jorge(*) tenho 23 anos, 1,80 de altura, um pouco gordinho com 100kg e um pau bem grosso. Hoje irei contar como eu perdi a virgindade aos meus 19 anos.

No ensino médio sempre fui um cara tranquilo, beijava algumas garotas porém nunca cheguei a transar com elas, meus amigos todos ja tinham perdido a virgindade porem eu ainda não.

Após eu ter terminado o ensino médio eu consegui um emprego em uma empresa de cestas natalinas onde conheci a Jaqueline(*), morena, com 1,75 de altura, peitos pequenos, cintura fina e uma bunda de tirar o folego. Nunca imaginei que teria algo entre a gente, afinal, eu com 19 anos, sem grana, nem vida organizada, jamais pensei que teria algo entre a gente e ainda por cima casada fazia à 8 anos.

Ocorreram alguns fatos na empresa que tive que adicionar ela no Facebook para poder tirar algumas duvidas referente ao trabalho, papo vai papo vem, criamos uma amizade bem bacana. Até que um dia eu decido fazer uma pergunta sem maldade “Você ficaria com alguém mais novo?” ela disse sem pensar “Sim e você, ficaria com alguma mulher mais velha?”. Na hora ja disse “Sim, até prefiro”, foi então que ela perguntou “Quando vou beijar essa sua boca?”. Fiquei em choque e não sabia o que responder, até que criei coragem e disse “Quando você quiser”.

Minha primeira transa foi com uma mulher mais velha e casada

Foi então que marcamos no dia seguinte da gente se pegar depois do serviço. Chegando ao local do encontro beijei aquela boca gostosa e apertei aquela bunda grande, que enchia minha mão e meu pau já tava pulsando de tão duro, afinal, eu era virgem. Na semana seguinte era natal e meus pais iam na casa de uns amigos da família e então decidi chamar ela pra ficar comigo em casa, ela sem pensar aceitou.

Ela chegou em casa com uma calça preta, sapatilha preta, uma blusa de seda vermelha e sem sutiã, marcando aqueles peitos pequenos porem firmes e lindos, ficamos conversando até que ela passa a perna por cima de mim e me da vários beijos quentes passando a língua pelo meu pescoço, levantei sua blusa e já comecei a chupar aqueles peitos deliciosos e apalpando aquela bunda grande roçando no meu pau duro.

Ela levanta do meu colo me joga no sofá e poe meu pau pra fora, tira um halls preto do bolso e começa a chupar meu pau feito uma louca, a sensação é maravilhosa, aquela língua gelada passando por todo meu pau foi um tesão do caralho, decido então levantar, jogar ela no sofá e disse “agora é a Minha vez”, quando tirei as calças dela vi que ela tinha um piercing na buceta, meti a boca naquela buceta cheirosa e molhada.

Ela puxava minha cabeça em direção a sua buceta com muita força e gozou na minha boca, que delicia, porem ao gozar na minha boca ela me jogou no chão, ficou por cima com aquela buceta toda molhada e cavalgou gostoso e pediu para que eu batesse nela e chamasse ela de vagabunda, sem pensar duas vezes dei um tapa na cara dela e ja chamei de puta, na hora ela cravou as unhas no meu peito e pediu para continuar, após cavalgar bem gostoso eu avisei que ia gozar e saiu de cima e abocanhou meu pau todo e eu gozei bem no fundo da garganta dela, foi maravilhoso.

Nos encontramos mais vezes, mas fica para um próximo conto.

(*) Nome fictício.



Leia Contos eroticos relacionados

Deixe seu comentário

Ler Contos Eróticos Reais Grátis.
© 2011 - 2020 - Contos Eróticos: Histórias Reais de Sexo, Contos Pornô

porno - contos eroticos - contos eróticos - quadrinhos eroticos - xvideos - Filmes Porno - Porno Brasileiro

error: