Virei putinha do meu professor casado

  • 12 de maio de 2020
  • 5389 views
8 votes

Meu nome é Tatiana(*), mas todos me chamam de Tati, hoje tenho 22 anos, mas este conto é de quando eu tinha acabado de fazer 19 anos e estava no primeiro ano da faculdade.

Eu estava super animada com o curso que eu havia escolhido e estava indo muito bem na maioria das matérias, a não ser em uma especifica, em que minhas notas não estavam tão boas. Curiosamente essa matéria era justamente a que eu tinha um professor que me atraia muito, não só a mim, mas também a maioria das garotas da minha sala e provavelmente por isso eu não conseguia me concentrar.

Seduzindo meu professor

O nome dele era João(*), provavelmente tinha uns 35 anos naquela época. Ele era alto e malhado, tinha o cabelo negro e lindos olhos puxados, pois era asiático. Logo no primeiro dia ele me chamou a atenção, mas em seguida percebi que usava uma aliança enorme na mão esquerda, mas isso não me impedia de dar boas olhadas para ele, a final de contas olhar não tira pedaço, porém depois de algum tempo percebi que ele lançava alguns olhares na minha direção também e devo dizer que não eram olhares muito inocentes, pois diversas vezes pegava ele olhando para o meu corpo.

Meu corpo geralmente chamava a atenção e eu gostava disso, principalmente quando chamava a de alguém que eu desejava. Sou morena e tenho cabelos longos e lisos, nunca fui muito de ir à academia, mas tenho sorte de ter belas coxas, uma bunda empinada e o que eu mais gosto são meu peitos e por isso gosto sempre de exibi-los.

Depois que percebi os olhares maliciosos dele decidi começar a sentar na frente da sala, bem próximo dele. Comecei a usar mais decotes e adorava ir usando saias, geralmente bem curtas e as vezes até ousava a puxar assunto com ele, claro sobre a matéria.

Quando percebi que não estava indo bem comecei a me desesperar, pois já estava quase no final do semestre e eu precisava de uma boa nota par a passar nas provas finais. Até que um dia a solução veio da melhor forma. Ouvi João conversando com outro aluno sobre aulas particulares e fui falar com ele em seguida para perguntar se essas aulas particulares era ele quem dava, ele me respondeu que sim, fiquei tão euforica que logo disse para ele que eu queria, sem nem mesmo perguntar sobre os valores, ele também pareceu bem animado e disse que poderi­amos marcar um horário para nossa primeira aula e nesse mesmo dia poderíamos negociar como seriam as aulas e quanto eu pagaria. Marcamos em uma sexta à tarde e ele me passou um endereço onde eu deveria ir.

A semana parecia passar muito devagar, apenas porque eu não via a hora de chegar sexta feira, mas quando ela chegou, eu estava totalmente animada, me arrumei colocando um vestidinho solto, curto e com um belo decote.

Quando cheguei ao endereço, percebi que era uma casa e que provavelmente era ali que ele morava. Era uma casa bonita, mas eu não queria espe ar nem mais um minuto para vê-lo, então logo apertei o interfone e sua voz grossa me atendeu e pediu para que eu entrasse.

O dia que dei para o professor e virei sua putinha

Ele me esperava na porta da sala, vestindo camiseta e bermuda, me surpreendi, pois sempre o via de roupas sociais na faculdade, mas ele também estava lindo daquele jeito. Ele me pediu para entrar e me levou em um cômodo, que percebi ser um escritório, com uma mesa redonda, onde provavelmente ele costumava dar as aulas. Me perguntei se estávamos sozinhos, e a confirmação veio logo em seguida, pois ele atendeu uma ligação que parecia ser da sua esposa dizendo que chegaria tarde.

Naquele momento eu tive pensamentos tão obscenos que fiquei surpresa comigo mesma, mas a verdade é que eu estava ali por um motivo, minhas notas, mas havia um motivo maior ainda, eu queria saber se conseguiria seduz i-lo e com as olhadas que ele me dava eu achava que não seria muito difícil.

Começamos a conversar sobre a matéria, mas como na sala de aula, eu não conseguia me concentrar, na verdade ali era mais difícil a inda, principalmente depois que percebi o volume na sua bermuda, enquanto ele estava sentado do meu lado, percebi também que em alguns momentos ele olhava para os meus peitos disfarçadamente.

Comecei a pensar no tamanho que era o pau dele para dar aquele belo volume da bermuda caqui. Eu não conseguia parar de olhar e em determinado momento acho que ele percebeu e eu fiquei com tanta vergonha que provavelmente fiquei até vermelha, me atrapalhei tanto que movimentei o meu braço e deixei todas as minhas canetas caírem e me abaixei para pegar, me lembrei que estava de vestido, mas já era tarde demais, ele já tinha visto toda a minha bunda virada pra ele com uma calcinha de renda preta.

Quando voltei a me sentar, ele parecia meio sem graça e sem palavras, eu pedi desculpas e coloquei minha mão na sua perna sem perceber, mas depois que percebi o que tinha feito, não a tirei dali, comecei a sorrir para ele, que estava mudo e me olhava um pouco surpreso.

Ele se levantou e por um momento pensei que ele ia pedir para que eu fosse embora, mas ai ele fez uma coisa que me surpreendeu, me puxou pela mão e me fez levantar, depois coloco uma mão na minha cintura e me puxou para ele, até ficarmos grudados, eu até podia sentir o pau dele na minha coxa. Ele me apertava cada vez mais contra ele, começou a mexer no meu cabelo, até que o puxou e falou no meu ouvido:

– É isso que você quer né safada? Quer que eu te coma?

Eu me arrepiei toda e respondi:

– É isso que eu quero professor, quero que me foda com força.

Ele me beijou com tanta vontade que percebi que já havia nele provavelmente um tesão acumulado por mim, e isso me satisfez tanto que pensei que faria qualquer coisa que ele quisesse, naquele momento eu era dele.

Ele começou a beijar meu pescoço e suas mão deslizavam por debaixo do meu vestido, o subindo, tirou as alcinhas dele e começou a chupar meus peitos com muita vontade, aquilo estava me fazendo ficar molhada, logo tirei as mãos das suas costas e fui direto para onde eu queria, naquele pau enorme, que agora estava duro e parecia estar torando na bermuda, eu não aguentei, precisava dele todo na minha boca.

Tirei a camisa dele e depois a bermuda, ele terminou de tirar meu vestido, e eu o empurrei para uma cadeira e me ajoelhei para chupar ele, fui com a boca bem molhada passando a língua por cada centímetro, até que coloquei ele todo na boca, enquanto ele puxava meu cabelo, empurrava minha cabeça contra ele e gemia baixinho.

De repente ele me colocou de pé e veio com a mão direto na minha bucetinha que já estava latejando de tanto tesão, passou os dedos por cima da calcinha, e ela estava ensopada, ele me pegou no colo e me colocou em cima da mesa, me deitou, empurrou minha calcinha para o ladinho e me chupou, ele lambia meu grelinho e apertava o meu peito, não aguentei e gemi alto e parece que ele gostou, ele me chupava freneticamente, gozei na sua boca enquanto puxava o seu cabelo. Eu não aguentava mais, queria aquele pau enorme dentro de mim, então pedi:

-Me fode professor, me fode.

Ele terminou de tirar minha calcinha e logo socou o pau todo na minha buceta, começou a me foder cada vez mais forte, eu gemia tão alto, pois ninguém nunca tinha me comido daquele jeito tão gostoso. Ele me desceu da mesa e me colocou de costas pra ele, abriu minhas perdas enquanto eu ficava debruçada na mesa, socou o pau de novo, e metia com força enquanto puxava meu cabelo, minhas pernas já estavam bambas quando ele tirou o pau e gozou na minha bunda, eu senti o jato da porra dele em mim e isso me satisfez mais do que qualquer coisa.

Depois que nos vestimos, ele me puxou para sentar no colo dele e me disse que eu não precisaria pagar as nossas aulas particulares e que também não precisaria me preocupar com minhas notas, desde que eu virasse a sua putinha. Eu disse a ele que pensaria no assunto. Na verdade eu já tinha me decidido, mas fui para casa sem responder.

Na aula seguinte me sentei na frente como sempre, e enquanto ele dava aula eu o olhava com cara de safada me lembrando da nossa trapada. Quando a aula estava quase terminando eu mostrei a surpresa que eu tinha preparado para ele.

Eu estava de saia e sem calcinha, então descruzei as pernas e as deixei abertas para que ele visse minha buceta rosadinha, que agora era só dele. Logo ele terminou a aula, eu esperei que todos saíssem e fiquei ali. Depois que todos foram embora, ele foi até a porta e a fechou.

Naquele momento eu tinha certeza que ele me comeria ali mesmo, e ele tinha certeza que eu tinha aceitado virar sua putinha.

(*) Os nomes são fictícios para preservar a verdadeira identidade.



Leia Contos eroticos relacionados

3 comentários para “Virei putinha do meu professor casado

  1. Guilherme • 14 de maio de 2020

    Queria ser esse professor pra comer essa aluna putinha

  2. Lua • 9 de julho de 2020

    Melhores sexo da minha vida, também foi com professor da universidade

  3. Morena • 28 de julho de 2020

    Minha primeira vez foi com meu professor …que delicia quando me lembro ainda me arrepia

Deixe seu comentário

Ler Contos Eróticos Reais Grátis.
© 2011 - 2021 - Contos Eróticos – Top 10 Contos Eroticos – conto erotico (2020)

porno - contos eroticos - contos eróticos - quadrinhos eroticos - xvideos - Filmes Porno - Porno Brasileiro

error: